quarta-feira , 23 agosto 2017
Home / Destaque da capa / ONU alerta para risco de fome
a ONU e várias das suas agências vêm advertindo sobre o drama que enfrentam milhões de pessoas nessas áreas pela falta de alimentos/Foto: José Cruz-ABr

ONU alerta para risco de fome

Os 15 membros expressaram sua preocupação com a “ameaça de fome” para “mais de 20 milhões de pessoas no Iêmen, na Somália, no Sudão do Sul e no nordeste da Nigéria”

O Conselho de Segurança da ONU se somou nesta quarta-feira (9) a outros organismos internacionais e acionou o sinal de alarme pelo risco de fome em quatro países, vinculando pela primeira vez a situação aos conflitos nessas regiões. A informação é da agência EFE.

Em uma declaração pactuada por consenso, os 15 membros expressaram sua preocupação com a “ameaça de fome” para “mais de 20 milhões de pessoas no Iêmen, na Somália, no Sudão do Sul e no nordeste da Nigéria”.

O Conselho de Segurança, que se encarrega principalmente de vigiar a paz e a segurança no mundo, reconheceu que os conflitos que afligem esses quatro países são “uma importante causa” do perigo de fome que enfrentam. O Conselho urgiu a todas as partes dessas guerras a facilitar o fornecimento de ajuda humanitária à população necessitada e disse que deplora que algumas delas não o estejam garantindo.

Há meses, a ONU e várias das suas agências vêm advertindo sobre o drama que enfrentam milhões de pessoas nessas áreas pela falta de alimentos.

Finalmente, hoje, o Conselho de Segurança reconheceu a liderança na resposta a essa situação exercida pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, e prometeu seu apoio. Além disso, urgiu toda comunidade internacional a doar recursos adicionais para “livrar as pessoas da  fome “.

O embaixador britânico, Matthew Rycroft, destacou em declarações aos jornalistas a importância de que o Conselho de Segurança tenha vinculado formalmente a fome aos conflitos no Iêmen, na Somália, no Sudão do Sul e na Nigéria.

“As crises de fomes hoje não são causadas somente pelo clima e pela superpopulação, mas por fatores humanos e, particularmente, por conflitos. É importante que isto esteja na agenda do Conselho de Segurança”, opinou.

 

(Da Agência EFE)

Sobre Da Redação

Leia também

Reforço na proteção às espécies ameaçadas

Ministério do Meio Ambiente vai criar novas unidades de conservação para reforçar a proteção ao …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe!