quinta-feira , 19 outubro 2017
Home / Cultura / Festival de Música divulga homenageados
Festival está em sua quinta edição e acontece de 20 a 24 de março de 2018/Foto: Sintonize Produtora Cultural

Festival de Música divulga homenageados

O evento, que é reconhecido como um dos principais festivais do país na música contemporânea brasileira, será realizado mais uma vez em Campinas

Marcado pelo pioneirismo, o Festival de Música Contemporânea Brasileira (FMC) chega à sua quinta edição e já tem data marcada: de 20 a 24 de março de 2018. Nesta semana também divulgou os nomes dos homenageados da nova edição: Egberto Gismonti e Marisa Rezende, dois nomes consagrados da música contemporânea atual. As inscrições para apresentação dos trabalhos já estão abertas e vão até dia 15 de novembro.

O evento, que é reconhecido como um dos principais festivais do país na música contemporânea brasileira, será realizado mais uma vez em Campinas, com atividades na Unicamp, no Instituto CPFL e no Teatro Municipal “José de Castro Mendes”.

Ao todo, serão cinco dias consecutivos de atividades gratuitas, com programação diversa e aberta ao público. A programação completa do evento inclui mesas-redondas, recitais e concertos que mergulham sobre as obras dos homenageados, uma mostra musical no Centro Infantil Boldrini e apresentações de trabalhos acadêmicos com análises sobre suas peças e estilos, unindo a pesquisa à performance

Os homenageados

Egberto Amin Gismonti nasceu no Rio de Janeiro em 1947 e começou seus estudos ao piano no Conservatório de Música da cidade de Nova Friburgo muito cedo Com o tempo e de maneira autodidata, aprendeu a tocar instrumentos como a flauta, mas principalmente o violão, que o acompanha por toda a carreira. Interessou-se pela pesquisa da música popular e folclórica brasileira, chegando a passar uma temporada vivendo com os índios no Xingu.

Os anos 80 foram o período de maior produção e ritmo criativo, gravando diversos discos e ampliando suas experiências com a música indiana e a erudita, o jazz, além de aprofundar antigas parcerias e realizar novas. Gravou 15 discos entre 1977 e 1993 para o selo norueguês ECM, dez dos quais lançados no Brasil pela BMG em 1995. É um dos primeiros artistas brasileiros a tornar-se proprietário das matrizes de seus discos. Foi homenageado no Festival Villa-Lobos e Mimo Festival e, em 2010 recebeu o Prêmio Cuba Disco.

Recentemente sua obra passou a ser gravada maciçamente por outros instrumentistas. Algumas peças do disco “Alma”, de 1987, tornaram-se hits, como “Palhaço” e “Loro”. Além das atividades com gravação e espetáculos, faz inúmeras trilhas sonoras para teatro, cinema, balé e especiais de TV.

Nascida no Rio de Janeiro, Marisa Rezende é compositora e pianista, com mestrado e doutorado realizados na Universidade da Califórnia, em Santa Bárbara, e pós-doutorado na Universidade de Keele, Inglaterra. Entre 1976 e 1987, foi professora da UFPe e professora titular de Composição da EM/UFRJ até 2002, onde fundou o Grupo Música Nova. Marisa Rezende também trabalhou com artistas plásticos em instalações multimídia e recebeu em 1999 a Bolsa Vitae de Artes para compor o espetáculo “O (In)dizível”.

Participou de festivais nacionais e internacionais, como a Bienal de Música Brasileira Contemporânea, no Rio de Janeiro; o Festival Música Nova, em São Paulo; o Sonidos de las Américas, em Nova York; o Festival Brasilianischer Musik, em Karlsruhe (Alemanha).

Entre 2011 e 2017 compôs “Olho d´água”, para conjunto de câmera, “Trama”, para violoncelo e orquestra de câmera, “Fragmentos”, para orquestra de câmera, e “Ciclo”, para quinteto misto, como encomendas para as XIX, XX, XXI, e XXII Bienais de Música Contemporânea Brasileira da Funarte. Em 2016, recebeu a medalha Villa-Lobos da Academia Brasileira de Música, como reconhecimento por sua obra.

Sobre o FMCB 

O festival é um encontro internacional de estudiosos da música brasileira, que a cada edição homenageia dois compositores ainda em vida que se destacam no cenário musical do país. Consolidado na agenda cultural de Campinas, a proposta promove um maior reconhecimento a quem se dedica à produção musical, além de difundir as contribuições virtuosas de seus trabalhos.

O FMCB proporciona uma visão global da obra dos homenageados por meio de apresentações complementares de pesquisa e performances, além da oportunidade de contato estreito com estes compositores que participam das atividades do evento. Os homenageados também apresentam suas próprias obras e contam como elas foram feitas, num momento especial para o público que tem a oportunidade de conhecer detalhes dos bastidores das produções e revelações das inspirações dos artistas.

A interação entre compositores, músicos, pesquisadores do Brasil e de outros países, e público em geral, incentiva, por meio deste contato, tanto a produção de mais pesquisas acadêmicas na área quanto o desenvolvimento de apresentações artísticas pelo mundo sobre as obras destes artistas.

Para Ronaldo Miranda, homenageado da terceira edição, o Festival é hoje um evento de grande importância para a cultura do país. De acordo com ele, compositores contemporâneos têm, em geral, poucos meios de veiculação de suas obras, nem sempre possíveis nas temporadas tradicionais de concertos. “Tive a honra de ter sido homenageado em 2016, ao lado de meu colega Paulo Costa Lima. E o resultado foi maravilhoso. O festival apresentou os mais variados intérpretes executando uma parcela expressiva da minha produção instrumental e vocal, com obras solo e de câmera e duas peças sinfônicas de minha autoria, que foram executadas pela Orquestra de Campinas”, destacou.

Em Campinas, o Festival de Música Contemporânea Brasileira foi idealizado por Thais Nicolau e é realizado pelo Grupo Sintonize, por meio do ProAC ICMS, Governo do Estado de SP e Ministério da Educação. Com patrocínio de CPFL Energia, Ipanema Rolamentos, apoio do CNPq e da CAPES, tendo como parceiros a Secretaria de Cultura de Campinas, Instituto CPFL, Unicamp, Instituto de Artes, OSMC e CRCV&B.

Chamada para trabalhos

O edital acabou de ser aberto e convida pesquisadores(as), docentes, discentes e profissionais em geral da área de música para submeterem propostas de trabalhos para o V FMCB ? Festival de Música Contemporânea Brasileira. Os trabalhos deverão versar em torno da temática “Vida e obra de Egberto Gismonti e Marisa Rezende”.

As submissões deverão ser enviadas exclusivamente por sistema de formulário eletrônico disponível na página www.fmcb.com.br/inscricao a partir do dia 15 de setembro de 2017 até o dia 15 de novembro.

 

(Estadão Conteúdo)

Sobre Da Redação

Leia também

Crianças são impedidas de entrar em show de McCartney

Um alvará impediu a entrada de crianças menores de 10 anos no show One on …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe!