domingo , 17 dezembro 2017
Home / Veículos / Volkswagen lança o Polo 2017 em quatro versões
Novo Polo tem garantia de três anos, sem limite de quilometragem | Foto: Divulgação

Volkswagen lança o Polo 2017 em quatro versões

A Volkswagen acaba de apresentar seu principal lançamento de 2017, o novo Polo. Produzido na fábrica Anchieta, em São Bernardo do Campo (SP), ele lança a Estratégia Modular MQB da fabricante, inaugurando um novo patamar do segmento de compactos premium.

Para receber o modelo, a Volks investiu R$ 2,6 bilhões no desenvolvimento dos produtos e na modernização da fábrica, que inclui, no primeiro trimestre de 2018, a produção do sedã compacto Virtus. Mas vamos ao que interessa: o novo Polo começará a ser vendido em novembro nas mais de 500 concessionárias Volkswagen no Brasil em três opções de motores e duas de transmissão.

São quatro versões: Polo, Polo MSI, Polo Comfortline 200 TSI e Polo Highline 200 TSI. O modelo tem garantia de três anos, sem limite de quilometragem.]O modelo ganhou design adaptado ao gosto do cliente brasileiro, com silhueta mais alongada, porque a distância entre-eixos, comprimento externo e largura cresceram, enquanto a altura continuou praticamente a mesma em relação ao modelo alemão – aliás, ele é lançado quase ao mesmo tempo.

São 4,06 metros de comprimento, 2,57 m de entre-eixos, 1,75 m de largura e 1.47 m de altura. Com a maior distância entre-eixos, foi possível o deslocamento das rodas mais para as extremidades e, assim, encurtar os balanços, o que dá ao carro uma imagem muito mais esportiva.

Em relação ao modelo anteriormente fabricado e vendido no Brasil, o novo Polo ganhou em comprimento (167 milímetros), entre-eixos (100 mm) e largura (100 mm), ficando 21 mm mais baixo. As bitolas estão maiores, agora de 1.524 mm na dianteira e 1.501 mm na traseira.

A linha do teto está mais longa e mais elegante. Na traseira, ela se une a um defletor no teto. Uma linha fina na lateral da carroceria corre paralela à linha do teto – ela rebaixa visualmente o centro de gravidade. O grande destaque do carro é o vinco que margeia a entrada de ar e corta o espaço entre o conjunto óptico principal e os faróis de neblina.

As grandes superfícies dos faróis de neblina e indicadores de direção chamam a atenção na lateral. Elas terminam em ângulos com contornos tridimensionais. O Polo produzido na fábrica Anchieta tem visualmente uma “boca” maior que a do modelo europeu. O contorno da grade inferior do para-choque é maior.

Os faróis e a grade do radiador formam a “cara” do novo Polo, que se estende por toda a largura do veículo. O para-choque foi desenhado para realçar a largura do veículo e o capô, com contornos bem pronunciados, é maior do que antes.

Vincos marcantes no capô – Eles saem das colunas “A” e correm em forma de “V” para o lado interno dos faróis e da grade do radiador. Adicionalmente a essas linhas, outros dois elementos de estilo correm pelo meio do capô e terminam na grade do radiador.

A barra transversal superior da grade é pintada na cor da carroceria e se une às linhas dos faróis. Isso dá ao capô uma aparência visual mais baixa – ao mesmo tempo, reforça a maior largura. Faróis de perfil baixo dão ao carro uma aparência mais concentrada, voltada para a frente. A segunda barra da grade do radiador é cromada e começa nas laterais do logotipo Volkswagen, unindo as linhas cromadas dos faróis.

Atrás, novas lanternas traseiras trapezoidais têm assinatura luminosa diferenciada. O conjunto óptico forma um “L” invertido, criando uma identidade visual noturna personalizada. Uma linha horizontal sob as lanternas na tampa traseira, que se desloca para o para-choque, reforça a largura do modelo. O difusor, integrado ao para-choque, traz elementos que destacam esportividade.

Por dentro, um novo design de painel e interior mostram uma nova linha para os compactos da marca. O foco do desenvolvimento da cabine foi no crescimento da digitalização dos mostradores e controles, assim como da conectividade. A interação entre o painel Active Info Display e os sistemas de infotainment tornou necessárias novas interpretações.

A nova arquitetura do painel começa com o objetivo de posicionar o sistema de infotainment muito mais acima do que antes, para poder ficar na linha de visão do motorista. Como o display tinha de se unir visualmente aos instrumentos para criar uma “ilha”, também ficou claro que as saídas de ar centrais tinham que ir para baixo.

Isso resultou em uma arquitetura para o painel contemporânea, introduzindo uma nova era de digitalização e conectividade na categoria. Todos os módulos principais – exceto os da unidade do ar-condicionado – foram integrados ao painel superior. O único botão adicional nessa área é o do interruptor do pisca-alerta. À esquerda, a “ilha” em preto brilhante dos controles chega ao nível dos instrumentos.

No nível abaixo estão os controles do ar-condicionado. O painel é levemente inclinado para o motorista no centro. Isso também acontece com o console central, com a empunhadura do câmbio e os botões das várias funções de condução do carro.

Três níveis de acabamento

O novo Polo tem elaborado conforme resultados de pesquisas com seus potenciais clientes. Para a versão Highline foi desenvolvido um interior sofisticado, em tom mais escuro. A cor preto predomina no interior do modelo. Há inserção de cinza tungstênio no painel, com alto brilho – a seção central, emoldurando o sistema de infotainment e o quadro de instrumentos, é em “preto piano” (brilhante). Os bancos da versão Highline possuem revestimento de tecido agradável ao toque, com embossagem de formato triangular, que transmite classe ao interior do hatch.
A versão Comfortline busca percepção de valor, que é obtida por meio do contraste de cores. Por isso foi desenvolvida uma combinação de cinza Paladium com maior inserção de preto Titan na parte inferior do painel e pelo interior do Novo Polo A seção central do painel possui inserto em preto brilhante. Os bancos da versão Comfortline também têm tecido com embossagem, em padronagem que forma contraste e realça o aspecto de conforto da versão.
As versões 1.0 e 1.6 MSI trazem interior claro, na cor cinza Paladium, que realça a amplitude da cabine – o espaço a bordo é uma das principais qualidades do veículo. Os bancos têm revestimento com desenho estruturado, que transmitem robustez.
Há oferta de regulagem de altura e distância do volante para o modelo a partir da versão Comfortline. O motorista se senta ao volante do e, em qualquer versão, a ideia é que ele encontre a posição ideal de dirigir – o assento do motorista tem ajuste de altura gradual de série em todas as versões do modelo e o campo de regulagem longitudinal é o maior do segmento (288 mm).
Todas as versões são equipadas com sistema de direção com assistência elétrica. Isso representa uma redução no consumo de combustível de até 3% quando comparado com um sistema de direção com assistência hidráulica.
O acerto das suspensões também colabora para a dirigibilidade. O modelo tem configuração dianteira independente tipo McPherson e interdependente na traseira, com eixo de torção. Para o Brasil, a suspensão foi elevada em 20 mm em relação à versão europeia, ganhando barra estabilizadora dianteira de 20 mm de diâmetro (versão com motor TSI).
O modelo traz pneus “verdes”, de baixa resistência ao rolamento, que colaboram para a redução no consumo de combustível – sem deixar de lado a alta performance dinâmica, em dirigibilidade e frenagens. São três medidas disponíveis: 185/65 R15, 195/55 R16 e 205/50 R17. Todas as versões trazem rodas com cinco parafusos de fixação.
Com 300 litros de capacidade, o porta-malas pode ser ampliado para 1.071 litros, bastando para isso rebater o encosto do banco traseiro. O compartimento conta com luz de cortesia. A partir da versão Comfortline o banco traseiro é bipartido de série, o que permite abrigar objetos maiores e ainda deixar espaço para até dois ocupantes atrás.

Freios a disco nas quatro rodas

O modelo tem freios a disco nas quatro rodas como item de série nas versões TSI. Os discos têm 276 mm de diâmetro nas rodas dianteiras e 230 mm de diâmetro nas rodas traseiras. Freios a disco colaboram para melhor performance e proporcionam maior resistência ao chamado “fading”, a perda de eficiência por aquecimento (numa descida de serra, por exemplo).

Todas as versões são equipadas com M-ABS, que inclui o sistema de freios antitravamento ABS (um dos mais modernos disponíveis) e outros recursos de segurança, como o EBD (distribuição eletrônica das forças de frenagem), que distribui eletronicamente as forças de frenagem entre os eixos traseiro e dianteiro, garantindo a estabilidade e a segurança.

Também está incluído no M-ABS o TC (Controle de Tração), que tem a função de reduzir o escorregamento das rodas durante a aceleração ou quando o veículo começa a destracionar, em curvas acentuadas, controlando eletronicamente o torque do motor.

Faz parte do “pacote” M-ABS o ESS (Emergency Stop Signal ou Sinal de Frenagem de Emergência), que funciona como um alerta para evitar colisões traseiras. Caso o motorista pressione o pedal de freio de forma acentuada, mantendo uma frenagem mais consistente, o sistema aciona as luzes de frenagem de forma intermitente.

O MSR (Motorschleppmomentregelung ou Controle do Efeito Freio Motor), sistema que evita o escorregamento das rodas em pisos de baixo atrito devido ao efeito do freio-motor, também está incluído. Esse recurso atua quando o motorista libera rapidamente o pedal do acelerador e nas reduções de marcha, aumentando o torque através do controle do acelerador eletrônico.

Nas versões TSI o veículo é equipado de série com ESC, ou controle eletrônico de estabilidade. Esse sistema reconhece um estágio inicial de que uma situação de rodagem crítica essa para acontecer. Compara os comandos do motorista com as reações do veículo a esse comando. Se necessário, o sistema reduz o torque do motor e freia uma ou várias rodas até atingir a condição de estabilidade.

Opcional para as demais versões do Novo Polo, o ESC engloba vários outros recursos eletrônicos de assistência, como HHC (Hill Hold Control) ou controle de assistência de partida em rampa, HBA (Hydraulic Brake Assist system), que reconhece a frenagem de emergência por meio da velocidade de acionamento e da pressão aplicada no pedal, EDS (Elektronische Differenzialsperre ou Bloqueio eletrônico do diferencial), que em trilhas ou em situação de baixa tração em uma das rodas motrizes, o bloqueio eletrônico do diferencial aciona o freio da roda com menor tração, transferindo o torque para a roda com maior tração, XDS+ (bloqueio eletrônico do diferencial), que melhora o comportamento dinâmico do carro, entre outros.

Também está entre os recursos de segurança o detector de fadiga, que analisa a forma como o motorista dirige e compara com os 15 primeiros minutos de direção. Caso detecte um desvio no comportamento ao volante, o equipamento emite um alerta, sugerindo uma parada para descanso.

O novo Polo é equipado de série em todas as versões com quatro airbags – dois dianteiros e dois laterais. Também é equipado de série com sistemas Isofix e top-tether para fixação de cadeirinhas infantis. Além disso, o indicador de status do cinto de segurança no visor multifunções informa se o condutor e o passageiro do banco dianteiro estão com os cintos de segurança afivelados.

Motorizações

Nas versões Comfortline e Highline, o novo Polo chega com motor flex de 115 cv a 128 cv e torque máximo que dá nome à versão “200 TSI” – 200 Nm se refere ao torque (força) máximo em Newton metro. O mercado, no entanto, consagrou como unidade de medida de torque o kgfm – no caso, 20,41. Esse motor está associado a uma transmissão automática de seis velocidades. Com etanol, o modelo acelera de 0 a 100 km/h em 9,6 segundos e atinge velocidade máxima de 192 km/h.

Outra opção de motor é 1.6 MSI, também flex – 110 cv (15,8 kgfm) a 117 cv (16,5 kgfm), associado a uma transmissão manual de cinco velocidades. Com etanol, acelera de 0 a 100 km/h em 9,6 segundos e atinge 193 km/h de velocidade máxima.

Na versão de entrada, a motorização oferecida é a 1.0 MPI. São 75 cv com gasolina (9,7 kgfm) a 84 cv (10,4 kgfm), associado a um câmbio manual de cinco marchas. Cumpre com etanol 0 a 100 km/h em 13 segundos e atinge 170 km/h de velocidade máxima.

Consumo

Em todas as versões, o novo Polo traz classificação “A” em consumo de combustível no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia). Na versão com motor 1.0 MPI, o Novo Polo é capaz de rodar até 12,9 km/l na cidade e 14,3 km/l na estrada, quando abastecido com gasolina. Com etanol, são 8,8 km/l na cidade e 10 km/l na estrada.

Com o motor 1.6 MSI, o modelo percorre 12 km/l na cidade e 13,9 km/l na estrada com gasolina. Os números com etanol são 8,2 km/l (cidade) e 9,5 km/l (estrada). O hatch percorre, com o motor 200 TSI, 11,6 km/l na cidade e 14,1 km/l na estrada, quando abastecido com gasolina. Com etanol, percorre 8 km/l na cidade e 9,8 km/l na estrada.

O modelo chega ao mercado em sete opções de cores externas: preto Ninja, branco Cristal, vermelho Tornado (sólidas), cinza Platinum, azul Night, prata Sirius e prata Tungstênio (metálicas).

Sobre Da Redação

Leia também

Captur

Renault Captur ganhará versão mais básica

Atualmente vendido em quatro configurações, o Renault Captur ganhará uma nova versão de entrada no …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe!