quinta-feira , 23 novembro 2017
Home / Concursos / Qual concurso prestar?
concursos públicos
Foto: Arquivo/EBC

Qual concurso prestar?

 O coach Rodrigo Perni inicia uma série de artigos tratando de passos para aquela pessoa que decide estudar para concurso

 

 

 

 

 

 

Capítulo I

Olá pessoal, tudo bem?

Com este texto inicio uma série de 4 (quatro) artigos tratando do segundo passo para aquela pessoa que decide estudar para concurso público, a escolha de qual concurso ou área de concurso prestar.

Neste primeiro artigo apresento 9 (nove) passos que podem lhe ajudar nesta escolha. Além disso, nos artigos subsequentes apresentarei de 2 (duas) a 3 (três) oportunidades de concursos, divididos por área de atuação.

Vamos lá?

Ao iniciarmos o nosso estudo precisamos tomar uma nova decisão: Qual será o concurso que será priorizado?

No universo do Serviço Público Federal, Estadual, Distrital e Municipal a quase totalidade de vagas são preenchidas via concurso público, excetuando-se aqueles cargos considerados de livre nomeação e exoneração. Muitos desses concursos exigem uma formação específica, tais como: medicina, odontologia, direito, administração, engenharia, etc… No entanto, diversos outros concursos não possuem esta especificidade, exigindo apenas que o candidato possua diploma de curso superior em qualquer área de formação ou certificado de conclusão do ensino médio (antigo 2º grau), por exemplo.

Devido a esta grande quantidade de opções, qual prova devemos focar?

A seguir elenco 9 (nove) itens que entendo como essenciais no momento em que decidimos qual concurso escolher:

1 – Qual o meu objetivo quando decidi estudar para concurso?

Quando iniciamos a nossa maratona de estudos precisamos ter em mente quais os motivos que nos levaram a estudar para concurso. Por exemplo: Prestar concursos ligados a minha área de formação; iniciar os meus estudos com um concurso onde há um número menor de matérias, um grau de dificuldade intermediário e com isso utilizá-lo como um “trampolim” para um concurso mais complexo; ou partir para o concurso que acredito ser o definitivo, aquele que possui uma exigência maior, com maior número de matérias.

2 – Concurso de nível médio ou superior?

Muitas oportunidades, inclusive com bons salários, são oferecidas para candidatos que possuem apenas o diploma de ensino médio. Estes concursos não podem ser deixados de lado, principalmente se você almeja um concurso que pague as suas despesas mensais e que te possibilitará estudar para um concurso de nível superior com um grau de tranquilidade maior. Caso o candidato possua nível superior completo, ele poderá optar entre iniciar por um concurso de nível médio, que lhe garanta o seu sustento, ou um concurso de nível superior, que pode ser entendido como aquele definitivo.

3 – Qual a minha área de formação? Desejo um cargo público nessa área?

Como exposto anteriormente, diversos concursos exigem formação em nível superior específico, com isso reduzindo a concorrência apenas para aqueles que são detentores deste diploma. No entanto, um menor número de concorrentes não significa que este concurso será mais fácil que os outros, visto que todos os candidatos, em algum momento, já estudaram aquelas matérias.

4 – Salário.

A área pública oferece diversos cargos com bons salários, por isso a grande atratividade dos concursos públicos. Este é um ponto importantíssimo que devemos analisar, pois se o nosso foco for estudar para concursos que oferecem uma maior remuneração devemos nos conscientizar de que este concurso terá um grau de exigência maior e que poderá demandar um período mais longo para conseguirmos a aprovação. Outra opção será realizar um concurso intermediário com a finalidade de manter o sustento básico e assim, posteriormente, retomar os estudos para um cargo que ofereça uma melhor remuneração.

5 – Qual o grau de responsabilidades que desejo para o meu cargo?

Como toda profissão os cargos públicos possuem graus de complexidade e responsabilidade distintos, portanto não podemos perder de vista aquilo que desejamos para a nossa profissão. Caso a nossa meta seja executarmos atividades mais complexas com melhores remunerações o nosso grau de estudo exigirá uma maior intensidade do que se fosse para um cargo que exerce funções de menor complexidade.

6 – Mudança de localidade.

Muitos concursos, devido a sua abrangência estadual ou nacional, exigem que o candidato tenha que se mudar de sua cidade ou estado para localidades distantes, inclusive fronteiriças. Em muitos concursos a estadia nestes lugares pode demorar anos.
Quando obtive a minha aprovação tomei posse na região Norte, onde permaneci entre os anos de 2006 e 2011.

7 –Editais.

Procure ler os editais dos concursos anteriores para conhecer as exigências das provas. No entanto,ATENÇÃO, os editais podem sofrer alterações de um concurso para o outro, apesar disso, conhecê-los com antecedência pode nos ajudar a decidir qual o concurso pretendemos escolher.

8 – Matérias exigidas.

Ao iniciarmos os nossos estudos devemos buscar informações acerca das matérias exigidas nas mais diversas provas para concurso e assim direcionarmos a escolha para qual cargo iremos estudar. Não restrinja a sua escolha por entender que você não é tão bom em alguma matéria exigida, encare o desafio e supere esta dificuldade, uma vez que, dessa forma você aumentará o número de concursos que poderá prestar.
Alguns concursos possuem um rol de matérias comuns que podem ser estudadas para diversas provas de cargos distintos, mas com funções similares, como os cargos que compõem a área fiscal (Auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil, Auditor Fiscal do Trabalho, Auditor Fiscal da Receita Estadual, etc…), os cargos do ciclo de gestão (carreira de planejamento e orçamento, especialista em políticas públicas e gestão governamental, etc…), dentre outros.

9 – Pesquise sobre o cargo que lhe interessa.

Conhecer as atribuições do cargo que pretende exercer é fundamental para uma boa escolha. Para isso é necessário pesquisar essas profissões na internet, conversar com amigos que exercem tais funções ou pesquisar as leis que regem os cargos que pretende concorrer.

Este foi o primeiro dos 4 (quatro) artigos da série “Qual Concurso Prestar?”, espero que ele ajude em sua escolha, no próximo artigo falaremos sobre os concursos para os cargos de Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil e Agente-Fiscal de Renda da Secretaria Estadual da Fazenda de São Paulo.

Até a próxima!
Bons Estudos e perseverança!!!

“A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original.” – Albert Einstein

Rodrigo Perni

Coach do Estratégia Concursos

 

Rodrigo Perni

Rodrigo Perni

Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil Formado em Administração de Empresas Aprovado em 21º lugar no concurso para Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil no concurso de 2006 na 2º Região Fiscal.

Sobre Da Redação

Leia também

Escola Verde

Escola Verde, no Riacho Fundo, é inaugurada

Unidade atenderá nos turnos matutino e vespertino. O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, participou da …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe!