quarta-feira , 18 julho 2018
Home / Mundo / EUA e Coreia do Sul fazem exercício militar
exercícios militares
Cerca de 12 mil militares dos EUA, bem como um número não revelado de tropas sul-coreanas, participam das manobras/Foto: Reprodução JN

EUA e Coreia do Sul fazem exercício militar

A iniciativa é realizada menos de uma semana após a Coreia do Norte testar seu míssil mais avançado até o momento

Os militares dos Estados Unidos e da Coreia do Sul começaram nesta segunda-feira um exercício militar de cinco dias na Península Coreana, que envolve aviões e milhares de soldados. A iniciativa é realizada menos de uma semana após a Coreia do Norte testar seu míssil mais avançado até o momento.

Os exercícios anuais são voltados para desenvolver a coordenação entre as Forças Aéreas das duas nações, disse um porta-voz do Ministério da Defesa sul-coreano a repórteres em Seul.

Cerca de 12 mil militares dos EUA sediados na Coreia do Sul, no Japão e em outras regiões, bem como um número não revelado de tropas sul-coreanas, participam das manobras, que incluirão aviões americanos de última geração, como os F-22 e os F-35.

Os militares americanos dizem que os exercícios militares são comparáveis em tamanho a exercícios anteriores e não são uma resposta a “qualquer incidente ou provocação”. Eles acrescentaram, porém, que a presença de aviões F-35A, F-35B e F-22 são uma novidade nessas operações.

Os exercícios ocorrem em meio a tensões por causa do programa de mísseis norte-coreano. Alguns analistas do setor de segurança temem que Pyongyang esteja perto de dominar a tecnologia necessária para atingir cidades dos EUA com mísseis nucleares.

Na semana passada, a Coreia do Norte testou seu míssil novo Hwasong-15, que segundo especialistas podem atingir Washington, D.C. Há dúvidas, porém, sobre se a Coreia do Norte poderia colocar uma ogiva nuclear no míssil e garantir que possa se manter até a reentrada dele na atmosfera do país.

Declarações de um graduado membro do governo Trump e de um congressista americano no fim de semana pareciam sugerir que um conflito pode estar mais perto. Assessor nacional de segurança, o general H.R. McMaster disse em entrevista à rede Fox News no domingo que os EUA poderiam “tomar conta da” questão da Coreia do Norte ao “fazermos mais nós mesmos”. O senador republicano Lindsey Graham afirmou no domingo que o Pentágono deveria retirar famílias de 28.500 soldados na Coreia do Sul, diante do quadro regional.

Enquanto começavam os exercícios militares, o jornal estatal norte-coreano Rodong Sinmun condenou na segunda-feira as manobras como “um prelúdio para uma guerra nuclear”, segundo a agência estatal central do país. Pyongyang não ficará sentada e observará as “provocações”, disse o jornal.

A China pediu na segunda-feira que todos os lados evitem exacerbar a situação “altamente delicada” na Península Coreana. Um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores pediu que se faça mais para diminuir as tensões na região. Fonte: Dow Jones Newswires.

Sobre Da Redação

Leia também

Lava Jato

Argentina vai usar delações da Lava Jato

Até meados de abril, autoridades argentinas investigavam, ao menos, 100 empresas por possível pagamento de propina. …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe!