segunda-feira , 25 junho 2018
Home / Cultura / Nailor Proveta em raro recital na Caixa Cultural

Nailor Proveta em raro recital na Caixa Cultural

A apresentação, marcada para às 20h, faz parte do projeto Solo Música em Brasília/Foto: Foto de Elis Ribeirete

O repertório vai do clássico (Villa-Lobos), passando pelo jazz (Charlie Parker, Duke Ellington e Paul Desmond) até chegar ao choro (Pixinguinha)

No dia 17 de janeiro (quarta-feira), sobe ao palco da Caixa Cultural um dos principais clarinetistas e saxofonistas do país, Nailor Azevedo, conhecido como Proveta. A apresentação, marcada para às 20h, faz parte do projeto Solo Música em Brasília.

No repertório, composições próprias que revelam suas influências: vão do clássico (Villa-Lobos), passando pelo jazz (Charlie Parker, Duke Ellington e Paul Desmond) até chegar ao choro (Pixinguinha).  Ele tocará também um movimento de uma música de Nelson Ayres, composta especialmente para o show.

“Recitais de clarinete e saxofone solo são raros, porque são instrumentos melódicos e são poucos os convites que aparecem a solistas, mesmo sendo eles virtuosos e tendo repertório para isso”, diz Alvaro Collaço, produtor e curador da Série Solo Música. Por esta razão, o projeto incluiu anualmente instrumentistas de sopro na sua programação.

Na Série já houve recitais solo de flauta, fagote, oboé, eufônio, saxofone e clarinete. “Proveta estava há anos em meus planos, seja pela sua sonoridade e pelo virtuosismo”, destaca Alvaro Collaço. Foi a extrema facilidade para tocar e improvisar que fizeram Nailor Azevedo ganhar o apelido de Proveta nos anos 70. A impressão era de que ele viera de outro mundo, já feito, daí o apelido com a novidade da época, que era o bebê de proveta.

Carreira internacional

Nailor Proveta iniciou seus estudos em música aos sete anos de idade com o pai e, em seguida, estudou teoria e solfejo musical na Prefeitura de Leme, interior de São Paulo. Aos 16 anos, seguiu para a capital paulista e integrou a orquestra de Sylvio Mazzuca. Aos 21, começou a tocar no Hotel Maksoud Plaza, em São Paulo, e lá teve o privilégio de tocar com Joe Williams, Benny Carter, Anita O’Day, Sadao Watanabe, Paquito D´Rivera e Natalie Cole, entre outros importantes artistas que lá se apresentaram.

Em seguida, participou da primeira formação da Banda Savana, comandada por José Roberto Branco, o maestro Branco. No começo dos anos 90, formou a Banda Mantiqueira com Edson Alves. Fez turnês pelo Brasil com a Orquestra de Ray Coniff.

O primeiro disco de Nailor Proveta foi em parceria com Edson Alves, “Rádio” (1993). Mais tarde, vieram os discos com a Banda Mantiqueira e seu disco-solo – “Nailor Proveta – Tocando Para o Interior” (2007). Participou de três projetos desenvolvidos por Maurício Carrilho e Luciana Rabelo para a Acari Records: “Mulheres do Choro” (2001), “Princípios do Choro” (2002 – caixa com 5 volumes, 15 CDs) e “Joaquim Callado, o pai dos chorões” (2004 – caixa com 5 CDs). Outros destaques são a trilogia“Brasileiro saxofone”, dois CDs com o violonista Alessandro Penezzi e o CD “Nonada”, com Rodolfo Stroeter, Tutty Moreno, André Mehmari e Teco Cardoso.

Com a Banda Mantiqueira gravou “Aldeia” (1996), “Bixiga” (2000), “Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – Banda Mantiqueira – Luciana Souza” (2005), “Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo e Banda Mantiqueira” (2005), “Terra Amantiquira” (2005), e “Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – Banda Mantiqueira – Monica Salmaso” (2007) e “Com alma” (2016).

Nailor Proveta trabalhou com muitos artistas importantes da MPB, entre os quais Milton Nascimento, Gal Costa, Edu Lobo, Raul Seixas, Guinga, Jane Duboc, Joyce, Cesar Camargo Mariano, Mônica Salmaso, Maurício Carrilho, Yamandú Costa e Renato Braz.

A apresentação de Nailor Proveta na Série Solo Música, em 17 de janeiro, às 20h, tem patrocínio da CAIXA e do Governo Federal. É uma realização de Alvaro Collaço Produções com produção local de Tatiana Carvalhedo Produções. Ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) podem ser adquiridos a partir do sábado anterior à data do evento, na bilheteria do Teatro da CAIXA, na CAIXA Cultural Brasília, aberta de terça a sexta-feira e domingo, das 13h às 21h; sábado, das 9h às 21h. Informações: 3206-6456 (bilheteria). Aclassificação indicativa é 12 anos.

Sobre Da Redação

Leia também

lucro estatais

Lucro das estatais sobe 44,8%

Segundo boletim divulgado pelo Ministério do Planejamento, endividamento das empresas diminuiu no período Com gestão …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe!