terça-feira , 22 Maio 2018
Home / Brasília / Descoberto atinge 50.1% de volume útil

Descoberto atinge 50.1% de volume útil

A última vez em que o Descoberto marcou o nível de 50% foi em 21 de junho de 2017/Foto: Tony Winston/ Agência Brasília

Segundo a Adasa, apesar do índice atingido, é importante alertar que a crise hídrica ainda é grave no DF e o comportamento hidrológico é incerto

O principal reservatório do Distrito Federal, o Descoberto, atingiu 50,1% do volume útil. A meta de 50%, estabelecida pela Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa) para o final do mês de maio, conforme Resolução nº 26, foi ultrapassada na tarde desta quinta-feira (08).

Segundo a Adasa, apesar do índice atingido hoje, é importante alertar que a crise hídrica ainda é grave no DF e o comportamento hidrológico é incerto.  Portanto, é de fundamental importância a colaboração da população, que precisa conservar hábitos de uso racional da água e reduzir ainda mais o consumo.

Ainda de acordo com a agência, esse resultado deve-se ao empenho da população em relação ao consumo consciente e às ações da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb), que trouxeram novas fontes de água para o DF com as captações no Lago Paranoá e no Bananal.

A Curva de Acompanhamento do reservatório do Descoberto foi elaborada a partir do estudo de cenários feito pela Agência, com a participação da Caesb (Companhia de Saneamento Ambiental do DF) e da Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (Seagri).

A avaliação é feita com base nos níveis do reservatório, cuja alteração se dá em razão das entradas de água; do consumo de água pela população e pelos agricultores; e da situação climática. A meta de 50% garante a segurança hídrica para o DF enfrentar o período de estiagem no segundo semestre.

A última vez em que o Descoberto marcou o nível de 50% foi em 21 de junho de 2017.

Sobre Da Redação

Leia também

gás natural

Consumo de gás natural cresce 9%

Apenas no setor residencial, o aumento foi de 19,6%, um movimento puxado por investimentos de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe!