terça-feira , 24 abril 2018
Home / Brasil / Manifestantes pró-Lula desocupam triplex no Guarujá

Manifestantes pró-Lula desocupam triplex no Guarujá

Além da ocupação, havia ainda um grupo de 70 apoiadores em frente ao triplex/Foto: EBC

Integrantes da Frente Povo Sem Medo e do MTST deixaram o local, depois de 3 horas, após conversar com a Polícia Militar

O grupo de manifestantes que ocupou o triplex no Guarujá atribuído ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso na Lava Jato, deixou pacificamente o prédio por volta de 11h30 desta segunda-feira, 16.

Integrantes da Frente Povo Sem Medo e do MTST deixaram o local, depois de 3 horas, após conversar com a Polícia Militar.

Além da ocupação, havia ainda um grupo de 70 apoiadores em frente ao triplex, com faixas dizendo “Se é do Lula, é nosso”, “Se não é, por que prendeu?” e “Povo sem Medo”. “É uma denúncia da farsa judicial que levou Lula à prisão. Se o triplex é dele, então o povo está autorizado a ficar lá. Se não é, precisam explicar porque ele está preso”, disse o pré-candidato à Presidência do PSOL, Guilherme Boulos, que também participou do ato, nas redes sociais.

A também pré-candidata Manuela D’Ávila (PCdoB) manifestou-se a favor do ato em sua conta no Twitter, assim como o senador Lindbergh Farias (PT).

Representantes das polícias Civil, Militar, além de advogados dos manifestantes fizeram uma vistoria prévia no condomínio e apartamento para verificar se há indícios de depredação ou arrombamentos. Eles aguardavam perícia da Polícia Federal, que estava a caminho.

De acordo com o coronel do 21° Batalhão de Polícia Militar do Interior, Luiz Fernando Stefani, não houve negociação, mas um acordo para a saída dos manifestantes até as 11h45. “Eles disseram que a ocupação era simbólica e resolveram sair pacificamente. Agora, a ocorrência será encaminhada para a Polícia Federal, que dará prosseguimento com o caso”, disse.

Um dos advogados do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, Ramon Koelle, afirma que não houve arrombamento do portão e nem da porta do apartamento e que tudo se deu pacificamente e sem danos ao condômino.

“Fizemos um acordo para ninguém se machucar. Tínhamos senhoras e senhores de idade lá dentro e não queríamos confronto. Nossa mensagem era de que se o apartamento é do Lula, entramos lá como convidados, pois somos amigos”, declarou.

Acusando o atual presidente Michel Temer de “ladrão” e o juiz federal Sérgio Moro, que condenou o ex-presidente, de fazer um julgamento “tendencioso”, os manifestantes entraram no prédio por volta das 8h30 da manhã, quando abriram um portão que, segundo eles, já estava quebrado, apenas empurrando-o.

De acordo com a advogada do MTST Débora Camilo, a ocupação era uma forma de manifestação à prisão do ex-presidente. “Queremos abrir os olhos da população para a prisão ilegal de Lula, que foi feita para tirá-lo da disputa presidencial. Não quebramos nada, estamos fazendo um ato pacífico. Queremos sair do triplex ainda hoje”, destacou.

Sobre Da Redação

Leia também

nome social

Mais de 1,4 mil pediram nome social no título

O prazo para pedir a alteração vai até 9 de maio. Essa é a mesma …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe!