terça-feira , 18 setembro 2018
Home / Brasil / Novo proprietário de triplex tem condenação

Novo proprietário de triplex tem condenação

Apartamento foi o pivô da condenação do ex-presidente Lula/Foto: Reprodução TV Globo

Empresário foi condenado em primeira instância pela Justiça Federal por improbidade no âmbito de Operação deflagrada na Paraíba

Dono do lance que arrematou o triplex no Guarujá, o empresário Fernando Gontijo também tem pendências com a Justiça. Ele foi condenado em primeira instância pela Justiça Federal por improbidade no âmbito da Operação Confraria, deflagrada na Paraíba em 2005 contra fraudes em licitações na prefeitura de João Pessoa.

Além de Gontijo, outros oito sentenciados – entre eles, Cícero de Lucena Filho (PSDB), ex-governador do Estado e ex-prefeito de João Pessoa, que chegou a ser preso na ação da Polícia Federal – devem pagar multa de R$ 852 mil.

O valor é referente ao superfaturamento de obras públicas de infraestrutura bancadas com dinheiro de convênios entre a União e a prefeitura.

Na ação, Gontijo é apontado como representante da Via Engenharia em uma licitação que teria sido fraudada. Ele recorre da decisão no Tribunal Regional Federal da 5ª Região.

Gontijo afirmou que, em 2001, enquanto executivo da Via, assinou “um contrato na qualidade de procurador da empresa”. “O contrato estava parado, inativo, mas, infelizmente, a juíza liberou o procurador de outra empresa, houve uma confusão do meu nome com o de um acionista da empresa e acabou me condenando”, afirmou ele.

“Isso não faz o menor sentido, num contrato de 20 anos atrás. Infelizmente, a nossa Justiça é lenta, né?”, afirmou o empresário, que disse ter visto processo sobre os mesmos fatos ser arquivado na área criminal.

História

O empresário Fernando Costa Gontijo, de 64 anos, é o novo dono de um dos imóveis mais comentados do País: o triplex 164-A, no condomínio Solaris, no Guarujá (SP). O apartamento foi o pivô da condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Lava Jato. Ele foi arrematado nesta terça-feira, 15, pelo valor mínimo estipulado no edital, de R$ 2,2 milhões. Gontijo tem três dias para fazer o pagamento e oficializar o negócio.

“O triplex tem mais de 200 metros quadrados, uma vista privilegiada e, por trás dele, existe uma história. É uma aposta, mas acredito que pode ser um bom negócio”, disse Gontijo.

 Gontijo atua no mercado imobiliário há mais de 30 anos, diz nunca ter votado em Lula e se qualifica como “apolítico”. Ele criou a empresa Guarujá Participações especificamente para comprar o imóvel. Em sua carreira de executivo, consta uma passagem pela companhia Via Engenharia – investigada no chamado mensalão do DEM – escândalo que veio à tona em 2009 e envolveu o ex-governador José Roberto Arruda. Ele também foi condenado por improbidade pela Justiça Federal da Paraíba.
O lance pelo apartamento foi dado faltando cinco minutos para o fim da primeira fase do leilão virtual, quando a página registrava 54.900 visitantes.

Para o leiloeiro responsável, Afonso Marangoni, a compra do imóvel já na primeira rodada foi surpreendente. “Imaginava que ele sairia apenas naquilo que chamamos de segunda praça (segunda rodada de venda), quando o preço cairia para 80% do valor estipulado. Nesse caso, R$ 440 mil a menos do que foi gasto para arrematá-lo”, afirmou Marangoni.

Um lance já havia sido feito anteriormente, por volta das 21h de segunda-feira, por um interessado de Piracicaba. “O próprio interessado solicitou a retirada do lance. Ele, na verdade, tinha dado um lance que não correspondia ao mínimo possível nessa fase do leilão”, disse Marangoni.

Moradores do prédio comemoraram a venda. “O Solaris é um prédio que sempre deu muito problema. Foi assim desde a construção. Ele demorou 13 anos para ficar pronto. Agora, com a venda do triplex, a gente espera que toda essa confusão tenha fim. Os moradores merecem um pouco de paz”, disse Maria Clara Hashimoto, dona de dois apartamentos.

Preço

Em agosto, na sentença em que o juiz Sérgio Moro condenou Lula, o imóvel fora avaliado em R$ 2,4 milhões. Portanto, ele já teria sofrido depreciação de R$ 200 mil no leilão. Apesar disso, corretores afirmam que o preço ficou acima do praticado hoje pelo mercado.

O consenso entre os corretores é que o metro quadrado na região varia de R$ 7 mil R$ 8 mil – isso se o imóvel for novo. Em caso de imóvel usado, a variação seria de R$ 5 mil R$ 6 mil. “O triplex, com muito boa vontade, vale R$ 1,8 milhão. Mas, poderia ser muito bem adquirido por R$ 1,5 milhão”, disse Luiz Lang, proprietário da corretora Verde Mar, que atua no Guarujá.

O apartamento e suas reformas, custeadas pela OAS, foram apontados por Moro e pelos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) como propinas de R$ 2,4 milhões da empreiteira ao ex-presidente, condenado e preso pela Lava Jato.

O site do leilão diz que o comprador terá de arcar com dívidas pendentes. Só com o condomínio, o débito era de R$ 47.204,28 até abril, “que serão de responsabilidade do arrematante.”

Sobre Da Redação

Leia também

O Homem na Prancha

“O Homem na Prancha” estreia no Sesc Garagem

Com entrada franca, espetáculo será apresentado nos dias 22 e 23 de setembro (sábado e domingo)  Edson …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe!