quinta-feira , 21 junho 2018
Home / Destaque da capa / Campanha irá conscientizar uso de celular ao volante

Campanha irá conscientizar uso de celular ao volante

O dia 22/05 foi escolhido em homenagem a Antônio Eduardo Mendes/Foto: Silvio Abdon/CLDF

Proposta é que, no dia 22 de maio, anualmente, o GDF priorize, em políticas públicas de publicidade, atividades educativas que alertem para comportamentos de risco

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou, em reunião na manhã desta terça-feira (12), o projeto de lei n° 1.142/2016, que estabelece o dia 22 de maio para conscientização contra o uso de aparelho celular ao volante.

A data foi escolhida em virtude da morte do motociclista Antônio Eduardo Mendes, que teve sua moto atingida por um veículo numa avenida do bairro Sudoeste, em 2016. O deputado Claudio Abrantes (PDT), autor da matéria, lembra que as investigações apontaram que a motorista estaria teclando no celular enquanto dirigia.

O parlamentar reforça que inúmeros estudos associam o uso do celular à elevação de risco de acidentes de trânsito. O fator principal é a distração que o aparelho causa ao motorista.

Nos EUA, um em cada quatro acidentes ocorridos estão associados ao uso do celular. Embora no Brasil ainda não haja dados consolidados sobre o tema, há evidências convincentes, ainda de acordo com Abrantes, de que o uso do celular ao volante implica riscos para motoristas, ciclistas e pedestres.

Desse modo, a proposta do parlamentar é que nesta data, anualmente, o GDF priorize, em políticas públicas de publicidade, atividades educativas que alertem para comportamentos de risco envolvendo o uso de celulares durante a condução de veículos.

As ações podem ser feitas em parceria com outros órgãos e empresas privadas. A ideia, portanto, é conscientizar por meio de campanhas educativas.

Combate à violência

O colegiado aprovou também o PL nº 1.515/2017, que cria a Semana de Campanha de Valorização do Professor e Combate à Violência no Ambiente Escolar, que deverá acontecer na terceira semana de outubro. O autor da medida, deputado Rodrigo Delmasso (PRB), defendeu a necessidade de resgatar o respeito aos profissionais de ensino.

O Brasil está no topo do ranking de violência em escolas, de acordo com levantamento da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), realizado com professores e diretores de escola do ensino fundamental e médio. A pesquisa, feita em 2013, englobou 34 países.

No Brasil, 12% dos professores disseram ter sido vítimas de agressões verbais ou de intimidação de alunos pelo menos uma vez por semana. Participaram da reunião de hoje (12) os deputados Prof. Reginaldo Veras (PDT), Júlio Cesar (PRB), Prof. Israel Batista (PV) e Sandra Faraj (PR).

Sobre Da Redação

Leia também

ProUni

ProUni oferece 174 mil vagas

Para se candidatar, é preciso ter feito o Enem de 2017, ter alcançado no mínimo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe!