domingo , 23 setembro 2018
Home / Cultura / A viola caipira na Caixa Cultural

A viola caipira na Caixa Cultural

Compositor já rodou o Brasil e fez as suas violas caipira e de cocho conhecidas em 29 países/Foto: Diego Bresani

 Espetáculo cênico-musical de autoria de um dos mais respeitados violeiros do Brasil, Roberto Corrêa. O projeto de estreia uma nova fase do instrumentista, compositor e pesquisador

Natural de Campina Verde (Minas Gerais), e residente em Brasília desde 1975, Roberto Corrêa é figura imprescindível quando o assunto é viola brasileira. Autor de 19 álbuns lançados, o compositor já rodou o Brasil e fez as suas violas caipira e de cocho conhecidas em 29 países, onde se apresentou em importantes salas de concerto. Doutor em música pela USP e professor, Corrêa contribuiu, em seus 40 anos de carreira, na formação de instrumentistas e na ampliação do repertório da viola, especialmente solista.

A estreia de “O Violeiro”, com temporada agendada para acontecer de 24 a 26 de agosto no Teatro da CAIXA Cultural Brasília, marca um novo momento de sua carreira. Após concluir seu doutoramento e seu ciclo de ensino na Escola de Música de Brasília, o violeiro volta a se dedicar inteiramente à sua arte.

O que se pode esperar do espetáculo “O Violeiro”? “Estou muito feliz com este novo momento. O espetáculo foi crescendo, me provocou a criar novas músicas, com novos e antigos parceiros. Também trouxe desafios para mim no palco. Pela primeira vez representarei um personagem. ‘O Violeiro’, é um espetáculo recheado de elementos da cultura e da arte caipira e interiorana, que gera encantamento e desperta memórias ancestrais”, responde o artista.

O Violeiro, espetáculo cénico-musical, narra, com texto e música, a vida de um violeiro brasileiro, do seu despertar como artista, suas crenças e religiosidade, sua relação com a natureza, seus amores e dissabores, suas alegrias e tristezas, até sua velhice. “É um espetáculo de essências, onde, na trajetória deste violeiro, assiste-se também a história recente da viola no Brasil”, comenta Roberto Corrêa, autor do espetáculo juntamente com João Antônio e Juliana Saenger.

Roberto Corrêa é quem conduz o espetáculo. Enriquecendo a narrativa da montagem, Roberto convidou Badia Medeiros, mestre da viola e guia de folia, Hérik Sousa, seu parceiro de dupla caipira, e um grupo de Catira (dança característica da região central do Brasil). A direção geral é assinada por João Antônio e segundo ele: “o espetáculo é uma aula sobre o Brasil caipira”. No repertório, composições instrumentais e cantadas de Roberto Corrêa, clássicos caipiras, uma composição de Clodo Ferreira e parcerias de Corrêa com Climério Ferreira, Túlio Borges, Siba e Néviton Ferreira.

No dia 21, terça-feira, Roberto Corrêa convida artistas, pesquisadores e estudantes de arte e de música para falar sobre: a história da viola caipira no Brasil; o imaginário ligado ao instrumento; e os caminhos que transformaram violas ibéricas de cordas dedilhadas em instrumento brasileiro. O bate-papo, com entrada franca, acontece na Sala Multiuso da CAIXA Cultural e tem início às 19h30.

Vídeos:

Moreninha se eu te pedisse (tradicional), com Roberto Corrêa

Nos Gerais (de Roberto Corrêa e Néviton Ferreira), com Roberto Corrêa

Antiquera (de Roberto Corrêa), com Roberto Corrêa

Um pedaço de minha vida (de Raul Torres), com Roberto Corrêa e Hérik Sousa

Sites na internet:

robertocorrea.com.br

open.spotify.com/artist/3l4QQrehqssBkUgfMRdYqC?si=0vEpAFmJRiupapPH2-1kgQ

facebook.com/robertocorrearc

instagram.com/robertocorrearc/

twitter.com/RobertoCorreaRC

Incentivo à cultura:

A CAIXA investiu mais de R$ 385 milhões em cultura nos últimos cinco anos. Em 2018, nas unidades da CAIXA Cultural em Brasília, Curitiba, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, está prevista a realização de 244 projetos de Artes Visuais, Cinema, Dança, Música, Teatro e Vivências.

A Caixa Cultural Brasília, inaugurada em 1980, foi o primeiro espaço cultural instituído pela CAIXA. Localizada na região central de Brasília, perto da estação Galeria do metrô e da rodoviária do Plano Piloto, possui cinco galerias, teatro, sala multimídia e Jardim das Esculturas. Em 2018, está prevista a realização de 60 projetos e o retorno do Programa Educativo CAIXA Gente Arteira.

Serviço:

Show: “O Violeiro”, de Roberto Corrêa

Local: CAIXA Cultural Brasília – Teatro da CAIXA (SBS Quadra 4 Lotes 3/4 – Edifício anexo à Matriz da Caixa).

Temporada: dias 24, 25 e 26 de agosto de 2018.

Horário: sexta e sábado, às 20h, e domingo, às 19h.

Informações: (61) 3206-6456.

Ingressos: R$ 20,00 e 10,00 (meia entrada para estudantes, professores, maiores de 60 anos, funcionários e clientes CAIXA e doadores de agasalho).

Duração: 80 minutos.

Classificação indicativa: Livre para todos os públicos.

Capacidade: 406 lugares (8 para cadeirantes).

Acesso para pessoas com deficiência.

Patrocínio: CAIXA

Sobre Da Redação

Leia também

São Paulo

São Paulo finaliza preparação para encarar o América-MG

Com Bruno Peres treinando junto com o grupo, Diego Aguirre comandou treino tático e de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe!