Estimativa tem por base a demanda dos 840 serviços online ofertados pelo Governo Federal desde janeiro do ano passado

Desde janeiro do ano passado, o Governo Federal transformou 840 de seus serviços em digitais. Apenas durante a pandemia do novo coronavírus, entre março e julho, foram 251. A tecnologia permitiu que o cidadão deixasse de se deslocar para o equivalente a 65 milhões de atendimentos outrora realizados fisicamente. Isso porque eram serviços que exigiam sua presença em algum órgão público.

O Auxílio Emergencial de R$ 600 é o caso de serviço criado durante a pandemia de coronavírus mais demandado. Dos serviços digitalizados nos últimos 18 meses, estão entre os de utilização mais massiva a Carteira de Trabalho Digital, a Carteira Digital de Trânsito e os oferecidos pelo Meu INSS. São especialmente acessados nos aplicativos desenvolvidos pelo Governo, além do portal gov.br.

65 milhões de atendimentos passaram a ser digitais no País

A meta definida pela Estratégia de Governo Digital é chegar à digitalização total até o final de 2022. – Foto: Banco de Imagens

“Os serviços transformados ainda antes da pandemia tiveram seu acesso digital duplicado ou mesmo triplicado neste momento e foram fundamentais para os cidadãos”, aponta o secretário de Governo Digital do Ministério da Economia, Luis Felipe Monteiro. “Alguns exemplos são o Abono Salarial, o Seguro Desemprego e a Carteira de Trabalho Digital. Em uma situação crítica como a da pandemia, isso demonstra o quanto estamos no caminho certo ao investir em serviços 100% digitais”, completa ele.

Digital descoberto na pandemia

O auxiliar administrativo Robson Almeida Alves Brasil, 36 anos, de Taguatinga, no Distrito Federal, é um dos brasileiros que ainda estava alheio aos serviços digitais antes da pandemia. Ele tinha receio que seus dados pessoais pudessem ser utilizados sem seu consentimento.

Durante o atual período, em que não se desloca mais para o trabalho, buscou orientações, conheceu o portal gov.br e aplicativos do governo, onde podem ser acessados os serviços. Reconhece que desfez tabus e há duas semanas tomou a decisão de baixar o aplicativo da Carteira de Trabalho Digital.

“Estou descobrindo tudo isso agora e hoje acho, sim, bem mais prático ficar resolvendo o que preciso por meio do digital. Uso cadeira de rodas e não tenho como ficar saindo, abrindo e fechando a cadeira, é muito desgastante. Os aplicativos estão me ajudando mesmo nessa questão”, conta ele. “Eu sempre tive receio, era meio cismado de que roubassem meus dados, fiquei com o pé atrás. Mas vi que é muito tranquilo”.

Com informações do Ministério da Economia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
19 + 12 =