Foto: Reprodução/Instagram

Cantor explicou que fim da parceria com escritório ligado ao sertanejo, confirmada no início de julho, se deu por conta de busca por projeto próprio

Eduardo Costa voltou a falar sobre o fim da parceria com o escritório Talismã, empresa de agenciamento ligada ao cantor Leonardo. Em bate-papo com a imprensa, nesta quarta-feira (19), o sertanejo afirmou que “nunca” teve qualquer sociedade com o ex-companheiro do projeto Cabaré

“Eu nunca tive uma sociedade com o Leonardo. Eu sempre tive sociedade com o Willian, da Talismã. Viramos sócios e chegou uma certa hora que eu queria poder criar um projeto meu. Não que eu não tivesse liberdade lá, mas é que eu tinha projetos que eu tinha dificuldades de colocar em prática. E é natural que exista alguma resistência quando se tem uma sociedade. Mas, eu queria correr alguns riscos. Eu sempre gostei de correr alguns riscos”, explicou. 

No início de julho, o escritório de Leonardo com Willian Passarinho comunicou o fim da parceria de 13 anos com Eduardo. Por meio de nota, a empresa informou que o rompimento profissional entre os dois cantores foi de comum acordo. “Não temos dúvidas que o cantor Eduardo Costa continuará a trilhar seu caminho com o brilhantismo de sempre, sendo esse o nosso mais profundo desejo”.

O fim da parceria pode estar relacionado a uma série de polêmicas recentes entre os dois. Em maio deste ano, durante uma live, Eduardo Costa ‘causou’ ao lado de Leonardo, deixando o parceiro visivelmente constrangido ao fazer um comentário envolvendo a cantora Thaême Maiotto. Dias depois, veio a informação de que Leonardo trocaria Costa por Gusttavo Lima. 

Do Instagram para o DVD

Projeto no Instagram vai se transformar em pelo menos dois DVDs

Projeto no Instagram vai se transformar em pelo menos dois DVDs

Reprodução/Instagram

Por conta da pandemia do novo coronavírus, Eduardo Costa tem aproveitado a quarentena para gravar e compartilhar uma série de vídeos cantando músicas no estilo voz e violão. Ao todo, segundo o sertanejo, quase 70 foram publicados até o momento no Instagram. 

O projeto, classificado pelo artista como “improvisado” —embora a produção conte com qualidade profissional—, deve migrar das redes sociais e se transformar em pelo menos dois DVDs. 

“Eu quero transformar o projeto em DVD. Já são quase 70 vídeos. Foi o melhor trabalho que eu já fiz na minha vida. Eu gosto de gravar muitas músicas do lado b dos discos de sucesso”, disse. 

Lives durante a quarentena

Eduardo Costa apresenta a terceira live, no sábado (22), a partir das 21h, direto de uma concessionária de veículos de luxo, em Uberlândia, Minas Gerais. O cantor recebe a dupla Israel e Rodolfo e promete apresentar os principais hits da carreira durante a apresentação online. 

De acordo com o artista, ele vem recebendo altas propostas para participar de lives. Entretanto, logo no início da quarentena, avaliou que seria necessário equilibrar a quantidade de apresentações para não “saturar” e, assim, continuar despertando o interesse do público. 

“Se eu for olhar o dinheiro que as pessoas me oferecem, eu faria live todo dia. Quando você faz 20 shows por mês, em muitos locais do Brasil, é uma coisa, mas quando é live você está em um único lugar. Até agora eu fiz duas lives e outra por meio do Instagram e Facebook. Quando eu faço, nem vejo esses números. O importante é saber que eu estou cantando para as pessoas e saber que as pessoas estão gostando”, completou. 

Ricardo Pedro Cruz, do R7

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
1 × 10 =