Fotos: Guilherme Silva

As atualizações ficaram restritas ao estilo e conteúdo, uma vez que a mecânica não sofreu mudanças. O WR-V mantém o conhecido motor 1.5 16V aspirado

Três anos depois de estrear no mercado brasileiro, o Honda WR-V 2021 chega com novidades. Junto com o discreto retoque visual, lançado há alguns meses na Índia, o crossover baseado no Fit finalmente ganhou os controles de estabilidade e tração, além de uma nova versão de entrada.

Para variar, como é de praxe nos lançamentos de uma nova linha, os preços das já existentes versões EX e EXL foram reajustados em R$ 3.400.

As atualizações ficaram restritas ao estilo e conteúdo, uma vez que a mecânica não sofreu mudanças. O WR-V mantém o conhecido motor 1.5 16V aspirado, que entrega até 116 cv de potência e 15,3 kgfm de torque quando abastecido com etanol, sempre atrelado à transmissão automática CVT.

Entre as novidades, a alteração mais perceptível está na dianteira do WR-V, que ganhou um para-choque com novas molduras nos faróis de neblina e uma grade mais discreta. A barra cromada da peça está mais estreita, enquanto a parte inferior ficou mais destacada. Desde a versão EX, o crossover é equipado com novos faróis principais com projetores em LED.

As lanternas traseiras agora também são de LED. O para-choque redesenhado conta com um ressalto na parte inferior, que não só deixou a aparência mais robusta e protegida de leves batidas, como também “esticou” em quase 7 centímetros o comprimento total do carro (totalizando 4,06 metros).

Por dentro, o WR-V 2021 traz detalhes em plástico preto brilhante no painel e nova padronagem da forração dos bancos. Na versão EXL, o revestimento de couro tem costuras na cor cinza.

O WR-V LX (R$ 83.400) é equipado de série com os obrigatórios airbags frontais, além de controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas, Isofix, direção elétrica, ar-condicionado, faróis com acendimento automático, vidros, travas e retrovisores elétricos, sistema de som com USB e Bluetooth, câmera de ré, faróis de neblina, rodas de liga leve de 16 polegadas, repetidores de setas nos retrovisores. 

Na versão intermediária EX (R$ 90.300)o WR-V 2021 traz os dois airbags laterais, ar-condicionado automático, central multimídia com tela de 7″ e espelhamento de smartphones via Apple CarPlay e Android Auto, apoio de braço central, iluminação de LED nos faróis principais, faróis de neblina e lanternas, volante revestido de couro, controle de cruzeiro, sensor de estacionamento traseiro, aletas para troca de marchas no volante, sistema de som com 2 tweeters e 6 auto-falantes. 

A variante topo de linha EXL (R$ 94.700) adiciona os airbags de cortina, totalizando seis bolsas infláveis, mais bancos de couro, navegador GPS integrado, retrovisores externos com rebatimento elétrico, sensor de estacionamento dianteiro e retrovisor interno antiofuscante.

Honda WR-V 2021 é equipado com controles de estabilidade e tração e sensor de pressão dos pneus

 

Primeiras impressões


Rodamos cerca de 100 quilômetros com uma unidade da versão mais cara do WR-V 2021 para constatar que o crossover praticamente não mudou no que diz respeito ao comportamento dinâmico e desempenho. Apesar de ser baseado no Fit, o WR-V se sai melhor quando precisa rodar em vias com asfalto esburacado por ter suspensões com acerto e componentes próprios. Além da altura em relação ao solo de SUV (mais de 20 centímetros), o conjunto filtra melhor os impactos. Os pneus de perfil um pouco mais alto também favorecem esse comportamento quando comparado com o Fit, cuja altura de rodagem mais baixa e firme se parece mais com a de um hatch.

O motor 1.5 aspirado não é a última palavra em tecnologia – ainda mais em tempos de carros turbo – mas atende muito bem as tarefas diárias. Na cidade, ele tem funcionamento suave por ser devido à transmissão de relações infinitas ser isenta de trocas de marchas. Entretanto, é na estrada e em subidas mais íngremes que o motor sente mais a falta de fôlego em baixas rotações. Fazer uma ultrapassagem ou manter o embalo em velocidade de cruzeiro obrigam o câmbio a subir o giro do motor, cujo excesso de ruído afeta o conforto acústico dos ocupantes e o consumo de combustível.

 

Novas lanternas são de LED; novo para-choque aumentou o comprimento em quase 7 centímetros

 

Chegamos a pegar um trecho em estrada de terra para atestar a eficiência das suspensões e conferir a atuação dos controles de estabilidade e tração. O sistemas são pouco permissivos (o que é bom) e entram em ação assim que uma das rodas dianteiras perde aderência ou quando detectam uma mudança de trajetória mais brusca.

No geral, o WR-V 2021 é um carro que vai continuar se valendo da boa reputação da marca e das qualidades herdadas do Fit, como a mecânica confiável e o espaço interno muito bem aproveitado. Em contrapartida, a tabela de preços será o principal obstáculo para convencer o consumidor a optar pelo Honda diante de novos rivais mais modernos e com maior nível de tecnologia embarcada.

Exemplo: desde a versão de entrada Comfortline (R$ 85.890), o recém-lançado Volkswagen Nivus é equipado de série com seis airbags e central multimídia compatível com os sistemas Android Auto e Apple CarPlay, além do esperto motor 1.0 turbo de até 128 cv.

 

Teste-drive a convite da Honda
Fotos: Guilherme Silva

 

FICHA TÉCNICA
Carroceria Monobloco em aço, cinco portas, cinco lugares
Motor Dianteiro, transversal, aspirado, injeção multiponto, comando de válvulas com variação na admissão, acionado por corrente, a gasolina/etanol
Número de cilindros 4
Número de válvulas 16 (quatro por cilindro)
Taxa de compressão 11,4:1
Cilindrada 1.497 cm³
Potência (gasolina/etanol) 115/116 cv a 6.000 rpm
Torque (gasolina/etanol) 15,2/15,3 kgfm a 4.800 rpm
Transmissão Automática CVT com simulação de 7 marchas
Tração Dianteira
Direção Elétrica
Suspensão dianteira Independente McPherson
Suspensão traseira Eixo de torção
Pneus e rodas 195/60 R16, liga leve 16″
Freios dianteiros Discos ventilados com ABS e EBD
Freios traseiros Tambores com ABS e EBD
Tanque de combustível 45 litros
Volume do porta-malas 363 litros
Altura 1,60 m
Comprimento 4,00 m
Largura 1,69 m (sem espelhos)
Entre-eixos 2,55 m
Peso em ordem de marcha 1.130 kg
Ângulo de entrada 21º
Ângulo de saída 33º
Altura livre do solo 207 mm
Diâmetro de giro 10,6 m
Aceleração 0 a 100 km/h (dado de fábrica) 12,3 segundos
Velocidade máxima (dado de fábrica) 168 km/h

 

 

SOBRE O AUTOR

Guilherme Silva

Guilherme Silva

Editor. Começou a trabalhar no Carsale em 2012, mas gosta e acompanha o universo automotivo desde que se conhece por gente. Prefere carros compactos e práticos, mas se diverte da mesma forma quando avalia um utilitário no fora-de-estrada ou acelera um superesportivo num autódromo.
Fonte: Carsale

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
8 − 1 =