O novo Renault Duster foi lançado em março, mas teve a estreia ofuscada pela pandemia do novo coronavírus

Enfim, submetemos o SUV aos testes de consumo e desempenho do Instituto Mauá de Tecnologia para comprovar se a atualização realmente trouxe melhorias ou se não passa de apenas um tapinha no visual.

Se entre 2011 e 2015 o Duster dividiu com o Ford EcoSport a atenção dos consumidores, atualmente a missão é tentar se destacar entre 12 rivais bastante competentes.

Para brigar em pé de igualdade com os novos concorrentes, a Renault promoveu mudanças profundas na plataforma do Duster a fim de introduzir novas tecnologias e melhorar o desempenho do SUV nos testes de impacto – segundo a marca francesa, a estrutura ficou 12% mais rígida que a do modelo antigo.

Visualmente, o novo Duster manteve o estilo parrudo que fez sucesso na geração anterior, apostando numa proposta mais aventureira, enquanto o Captur (que será atualizado até 2021) assume de vez, no portfólio da Renault, o papel de SUV mais urbano e focado em design.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
36 ⁄ 12 =