Foto: Divulgação

Encontro online no dia 8, em parceria com o Iphan, será apresentado o processo administrativo de registro da tradicional festividade como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria da Cultura (Secult Goiás), promove, no próximo dia 8, às 17 horas, a primeira reunião com os participantes das Cavalhadas de Goiás. Neste ano, em razão da pandemia provocada pela Covid-19, a tradicional festa popular do Estado não pode ser realizada. A expectativa é que, em 2021, o espetáculo volte a abrilhantar e encantar os goianos.

O encontro será coordenado pelas superintendências de Patrimônio Histórico, Cultural e Artístico, e de Fomento e Incentivo à Cultura, da Secult, em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), seção Goiás. Também participam representantes dos Detentores das Cavalhadas, pessoas diretamente ligadas ao processo de realização dessa festividade.

A iniciativa tem como objetivo apresentar o processo administrativo de Registro das Cavalhadas como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil junto ao Estado de Goiás e ao Iphan, medida que foi pleiteada em 2019, pelo governador Ronaldo Caiado, e que está em fase de instrução.

Cavalhasdas- GO

Foto: Divulgação

Outro tema da reunião é o fortalecimento da festa, envolvendo a comunidade dos 11 municípios proponentes (Corumbá de Goiás, Crixás, Hidrolina, Jaraguá, Palmeiras de Goiás, Pilar de Goiás, Pirenópolis, Posse, Santa Cruz de Goiás, Santa Terezinha de Goiás e São Francisco de Goiás) no contexto da pandemia. Também serão discutidas estratégias de ampliação da participação da comunidade, bem como a definição do calendário virtual para as próximas reuniões.

Cavaleiros no ardor da batalha, guerreando com tiro de garrucha

Foto: Divulgação

Cavaleiros no ardor da batalha, guerreando com tiro de garrucha

Tradição centenária

As Cavalhadas são celebrações que ocorrem há mais de 200 anos em Goiás, inspiradas nas tradições de Portugal e da Espanha na Idade Média. Em Goiás, o primeiro registro é de 1751, no município de Santa Luzia (hoje Luziânia). A festa une religiosidade e fé, cultura, turismo, economia e valorização do patrimônio imaterial do Estado, e mobiliza os moradores locais e visitantes, revivendo toda uma tradição histórica.

O cenário das Cavalhadas consiste em uma representação das batalhas entre cristãos e mouros que ocorreram durante a ocupação moura na Península Ibérica (século IX a século XV). São dois exércitos com 12 cavaleiros cada, que durante três dias se apresentam, encenando a luta, ricamente ornada e com belíssimas coreografias. Junto a esta manifestação, encontra-se a presença dos Mascarados, personagens incontáveis que se vestem com máscaras e saem às ruas, a cavalo ou a pé, fazendo algazarras.

Símbolo da cidade: o Mascarado, personagem profano que participa da celebração que atrai milhares de turistas

Foto: Divulgação

Entre uma região e outra, pequenas mudanças são percebidas nas Cavalhadas, porém, mantém-se sempre a tradição e regra, sendo um evento que ocorre logo após os festejos do Divino Espírito Santo. Um belo espetáculo ao vivo!

Secretaria de Cultura (Secult) – Governo de Goiás

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
32 ⁄ 16 =