IPVA E Nota Legal I

Devido aos prazos para pagamento da cota única e o cronograma de indicação do Nota Legal, o contribuinte vai ter que prestar atenção nos boletos de IPVA que já foram processados.  Neles,  não constam as indicações para desconto, que começaram no dia 4 de janeiro e vão até 31 de janeiro. Por isso, os contribuintes que fizerem indicação do programa precisam imprimir os boletos do IPVA com o desconto nos sites do Nota Legal, ou nos da Secretaria de Economia.

 

IPVA E Nota Legal II

Como a cota única e a primeira parcela do IPVA vencem em fevereiro, não haveria tempo hábil para processar, imprimir e enviar pelo Correio os boletos após o dia 31 de janeiro, que é o prazo final para indicação do Nota Legal. Quem obteve desconto do Nota Legal deve reimprimir os carnês com os valores corretos.

 

IPVA e Nota Legal III

Nos carnês enviados, consta também o valor do Licenciamento Anual, do Departamento de Trânsito. Esse valor pode ser considerado para pagamento, pois não entra no abatimento do Nota Legal. Apenas as parcelas do IPVA precisam ser reimpressas.

 

Juros em alta

Apesar do banco central ter mantido a taxa Selic em 2%, o boletim da entidade deixa claro o vieis de alta a partir de agora, diante do aumento dos índices de inflação. Analistas do mercado, não descreram uma taxa de até 5% no final de 2021.

 

Juros em alta II

O problema não serão os prováveis 5% da Selic, interromperia uma queda histórica, mas os reflexos desse aumento nos juros praticados no mercado, que em com taxa 2% caíram significativamente.

 

Prova de vida

Os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que não fizeram a prova de vida entre março de 2020 e fevereiro deste ano não terão seus benefícios bloqueados. Portaria  publicada Diário Oficial da União, prorroga a interrupção do bloqueio de benefícios para as competências de janeiro e fevereiro, ou seja, para pagamentos até o fim de março.

 

Pix não empolga

Segundo pesquisa da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), realizada em dezembro, 43% dos bares e restaurantes veem a falta de integração dos sistemas como uma barreira para implementação do Pix. “Como geralmente o Pix está cadastrado em uma conta de pessoa jurídica, só o dono ou o staff financeiro têm acesso. Você tem que confiar no cliente”, afirma o diretor de conteúdo da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), José Eduardo Camargo.

 

PIX não empolga II

Segundo a entidade, se houver incentivo, o cenário fica diferente. Os descontos e promoções são boas alternativas para aumentar a adesão. “O consumidor não ganha nada de pagar com o Pix. As empresas tem que compartilhar parte do ganho que eles têm. Se eles fizerem isso, o Pix vai pegar sim no delivery. Se não fizerem, vai ficar restrito aos desbancarizados e para uso entre fornecedores”, afirma a entidade na pesquisa.

 

bsbagora@gmail.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
17 × 15 =