Alívio na cozinha

Após encontro com representantes dos bares, restaurantes hotéis e similares do DF, o governado Ibaneis anunciou a nova flexibilização no funcionamento desses estabelecimentos. Pesou na decisão do governador o fato de que a ocupação dos leitos de UTI caiu para 90%, número que deve ser ainda menor com a abertura dos hospitais de campanha, mas principalmente a redução das taxas de contágio que estão abaixo do nível 1, como antecipado na coluna.

Alívio na cozinha (II)

No encontro, os proprietários se comprometeram a ajudar na fiscalização do cumprimento das medidas de isolamento nas unidades, bem como na utilização de máscaras e álcool em gel. Fizeram a promessa de que os estabelecimentos que repetirem cenas de superlotação poderão ser denunciados até pela própria entidade que cada deles.

Alívio na cozinha (III)

O encontro foi considerado o mais amistoso desde o começo da crise da pandemia. Com momentos até para piadas como a de que o novo horário permitiria o acompanhamento dos jogos de futebol. Piada ou não, hoje, primeiro dia de funcionamento dos bares no novo horário, tem jogo do Flamengo, time de Ibaneis, pela Libertadores.

O impacto nas malas

Uma das mais tradicionais redes de lojas de bolsas e acessório, a Le Postiche, entrou em recuperação judicial. Com dívidas de mais de 64 milhões, a empresa foi vítima tanto da crise que atingiu o turismo, o que levou a menos vendas de malas, como também da redução nas aulas presenciais, o que fez com que muitas famílias deixassem de comprar mochilas para os alunos.

Efeitoboiada?

Pode não ser só resultado das flexibilizações do governo federal, mas chama a atenção o salto na comercialização de madeiras para o exterior dentro da balança comercial brasileira. Em comparação a 2020, as exportações de madeira bruta (sem nenhum) tipo de tratamento industrial) pelo Brasil cresceram 96%.

IPCA x IGP-M

Donos de lojas e estabelecimentos em shoppings apostam suas últimas fichas no projeto de lei em tramitação no congresso que permite a troca do IGP-M pelo IPCA como índice de correção. A diferença entre os valores ajustados pelos dois índices chega a mais de 200%. Os donos de lojas em ruas têm conseguido sensibilizar os proprietários dos imóveis em adotar o IPCA, mas a boa vontade não é igual quando se trata de aluguéis em shoppings.

E o índice só sobe…

As previsões do mercado é que mesmo no IPCA, os indicadores devem superar os 8% nos últimos 12 meses. O vilão da vez é o reajuste apascentas de luz, que será impactados pela adoção da tarifa vermelha diante da escassez de chuvas em várias regiões do pais.

Céu de bancário

Depois do Santander e o Bradesco foi a vez o Itaú anunciar seu livro, de 64% no primeiro trimestre deste ano. Como pode se ver, a crise não é igual para todos os segmentos. Se é que existe para alguns.

 

bsbagora@gmail.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
30 + 9 =