A meta é implantar o programa em 60% dos 47 municípios prioritários até 2022, segundo o percentual de propriedades rurais com lavouras temporárias e permanentes, maior área plantada em hectares e maior taxa de incidência de intoxicações por agrotóxicos

A Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO) está lançando por meio da Superintendência de Vigilância em Saúde, o Programa de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos (VSPEA) que visa à execução de ações de saúde integradas, abrangendo a promoção à saúde, a vigilância, a prevenção e o controle dos agravos e das doenças decorrentes da intoxicação por agrotóxicos.

Há registros de índices alarmantes de contaminação por agrotóxico em vários municípios brasileiros, atingindo inclusive o leite materno das mulheres, como em Lucas do Rio Verde (MT) (Foto: SES-GO)

Para apresentar de forma detalhada os objetivos e principais ações para a execução do Programa VSPEA, em atendimento ao cronograma inicial do Ministério da Saúde, foi realizada uma reunião virtual com 98 participantes, na última sexta-feira, 10/09. Participaram prefeitos ou secretários municipais de saúde e técnicos em vigilância dos municípios prioritários, além dos técnicos da SES-GO, Cosems e Ministério da Saúde.

A meta da SES-GO é implantar a VSPEA em 60% dos 47 municípios prioritários até 2022, selecionados mediante os critérios: percentual de propriedades rurais com lavouras temporárias e permanentes, maior área plantada em hectares e maior taxa de incidência de intoxicações por agrotóxicos (veja tabela abaixo).

Os municípios devem seguir requisitos mínimos como elaborar um plano de ação em VSPEA e instalar um Grupo de Trabalho ou estrutura semelhante, e ainda, implantar a notificação de casos via Sinan (Sistema Nacional de Informação de Agravos de Notificação). “A SES fará o consolidado dessa implantação extremamente importante, tendo em vista o perfil econômico do nosso estado, centrado no agronegócio”, adianta o secretário estadual de Saúde, Ismael Alexandrino.

Foto: Divulgação Sistema FAEP/SENAR-PR

Intoxicações

A taxa de crescimento do mercado brasileiro de agrotóxicos chegou a 190% nos últimos 20 anos. Segundo os bancos de dados oficiais e pesquisas em andamento no País, desde 2008 o Brasil é o maior consumidor mundial de agrotóxicos e Goiás é o 6º colocado no ranking brasileiro. Há registros de índices alarmantes de contaminação por agrotóxico em vários municípios brasileiros, atingindo inclusive o leite materno das mulheres, como em Lucas do Rio Verde (MT).

Em Goiás, os registros de intoxicações por agrotóxicos vem caindo desde 2018, com 844 registros; 530 em 2019; 349 em 2020 e 177 até julho 2021 (dados parciais). “Em geral, esses são os casos em que se observam sintomas agudos. Em relação às intoxicações crônicas é muito difícil fazer o controle dos efeitos que surgem anos após a exposição lenta e continuada a frequentes doses de pesticidas”, diz Edna Covem, da Gerência de Vigilância Ambiental e Saúde do Trabalhador da SES-GO.

CRITÉRIOS PARA SELEÇÃO DE MUNICÍPIOS PARA IMPLANTAÇÃO DO VSPEA

Tabela 1 – Município Percentual Propriedades lavoura temporária e Permanente
01 – Santa Helena de Goiás 79
02 – Chapadão do Céu 77
03 – Maurilândia 77
04 – Montividiu 76
05 – Porteirão 74
06 – Perolândia 71
07 – Bom Jesus de Goiás 70
08 – Turvelândia 69
09 – Goiatuba 67
10 – Vicentinópolis 65

Municípios com maior número de área plantada por hectare em 2017: Rio Verde , Jatai, Cristalina, Montividiu, Mineiros, Paraúna, Chapadão do Céu, Goiatuba , Catalão , Ipameri.

Tabela 2 – Incidência de intoxicação por agrotóxicos (por 100.000 habitantes) por município de ocorrência, Goiás, 2018 a 2021
MUNICÍPIOS 2018 2019 2020 2021
01 – Edéia 325,4 0 0 0
02 – Formosa 194,1 24,3 0,8 4,9
03 -Cristalina 127,9 41,5 16,6 0,0
04 – Goianápolis 124,7 0 0 0
05-Paranaiguara 118,3 59,2 78,9 49,3
06 – Turvelândia 111,8 0 0 0
07 – Água Limpa 109,3 0,0 54,6 0,0
08 – Barro Alto 78,9 52,6 35,1 0,0
09 – Aporé 70,9 0 0 0
10-Goiatuba 67,2 55,6 38,0 0,0

 

Tabela 3 – Municípios que atendem aos critérios: Percentual Propriedades Rurais c/Lavouras Temporárias e Permanentes por Município; maior Área Plantada em Hectares; com maior taxa de incidência de intoxicações por agrotóxicos
1 Rio Verde 18 – Piracanjuba 35-Goianápolis
2 Jataí 19 – Itumbiara 36-Paranaiguara
3 Cristalina 20 – Perolândia 37-Água Limpa de Goiás
4 Montividiu 21 – Edéia 38 – Barro Alto
5 Mineiros 22 – Caiapônia 39-Aporé
6 Paraúna 23 – São João da Aliança 40-Ceres
7 Chapadão do Céu 24 – Padre Bernardo 41-Cabeceiras
8 Goiatuba 25 – Água Fria de Goiás 42-Santo Antônio da Barra
9 Catalão 26 – Morrinhos 43-Monte Alegre
10 Ipameri 27 – Serranópolis 44-Teresina
11 Bom Jesus de Goiás 28 – Niquelândia 45-Amorinópolis
12 Acreúna 29 – Turvelândia 46- Iporá
13 Silvânia 30 – Vicentinópolis 47-Montes Claros
14 Santa Helena GO 31 – Porteirão  
15 Quirinópolis 32 – Gouvelândia  
16 Luziânia 33 – Maurilândia  
17 Campo Alegre de Goias 34 – Formosa  

Fonte: Secretaria de Estado da Saúde de Goiás

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
17 × 17 =