Em coletiva, secretário Leandro Cruz anuncia programa para estimular esporte, cultura e protagonismo infantil. Ano letivo será retomado em 8 de março

O Governo do Distrito Federal (GDF) planeja reforçar o ensino básico com a oferta de uma série de ações simultâneas e inovadoras integrando o modelo pedagógico com práticas esportivas, cultura e ações de promoção do protagonismo estudantil. Para isto, o secretário de Educação, Leandro Cruz, anunciou o Programa Virando o Jogo, em coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (28), no Palácio do Buriti.

Foto: Mary Leal/Secretaria de Educação
O secretário Leandro Cruz (ao centro) destacou o papel fundamental dos profissionais da educação, que ultrapassaram diversos desafios em 2020 e na preparação para o ano letivo de 2021 | Foto: Mary Leal/Secretaria de Educação

“O ano de 2020 vai deixar graves sequelas na educação de Brasília, do Brasil e do mundo. O Programa Virando o Jogo começa em 2021, mas não acaba ao final deste ano. É programa para uma década”, afirmou o titular da pasta. Segundo Cruz, a iniciativa pretende “acompanhar e resgatar cada estudante, cada conteúdo,  e tratar cada dano, emocional ou pedagógico”.

Ao todo, são 15 programas e projetos, que buscam, principalmente, melhorar a qualidade do processo de ensino e de aprendizagem, bem como aproximar estudantes, comunidade escolar e sociedade. O Virando o Jogo vai trabalhar, também, em frentes como alfabetização de jovens, adultos e idosos, educação profissional, preparação para o Enem e reforço escolar, entre outros. Os detalhes serão esmiuçados no lançamento do programa, em fevereiro.

Ensino digital

Leandro Cruz destacou o papel fundamental dos profissionais da educação, que ultrapassaram diversos desafios em 2020 e na preparação para o ano letivo de 2021. “Os professores não se acomodaram diante do novo formato que a educação pediu em 2020. Fizeram uma busca ativa dos estudantes, usaram o Google Sala de Aula, materiais impressos e várias outras formas para atingir os estudantes”, lembrou.

“As escolas não fecharam nenhum dia, apesar dos estudantes não estarem frequentando as aulas presencialmente. Seguiram com reformas, distribuição de cestas verdes, entrega de material e tantas outras formas para se conectar com os estudantes”, completou Cruz, que confirmou a retomada do ano letivo em 8 de março.

O secretário executivo, professor Fábio Sousa, reafirmou o papel de excelência dos profissionais da educação: “Nenhum estudante foi deixado para trás. A parte afetiva da educação foi intensificada durante o processo mediado pelo ensino remoto”. Souza declarou, ainda, que, em 2021, recursos como o Google Sala de Aula continuarão a ser utilizados, mesmo quando for autorizado o retorno às aulas presenciais.

A Secretaria de Educação recebeu 31.048 inscrições de novos estudantes interessados em ingressar na rede pública em 2021. O número foi menor do que o registrado no ano anterior, quando ocorreram 38.579 pedidos, uma diferença de 7.531 estudantes.

Retomada segura

Durante a coletiva, o secretário de Educação informou que a pasta acompanha a evolução da pandemia e a aplicação da vacina no Distrito Federal. “Todas as vidas importam, por isso professores e todos os profissionais que atuam nas unidades escolares devem ser vacinados. Vemos essa preocupação da parte do Governo durante o processo de vacinação. A maneira como será a vacinação na Educação ainda está em debate e será organizada pela Secretaria de Saúde”, frisou Leandro Cruz.

O protocolo de retorno com todas as orientações de segurança para estudantes, professores e demais profissionais da educação está em fase de finalização e será divulgado à sociedade antes do começo das aulas. Os cuidados vão desde a sanitização das escolas e a instalação de lavatórios na entrada das instituições até a disponibilidade de álcool gel, de máscaras de proteção e de tapetes higienizantes na porta das salas de aula, além de regras de distanciamento.

Confira outros dados apresentados pela Secretaria de Educação sobre o ano letivo de 2020, que se encerra nesta quinta-feira (28):

– Mais de R$ 210 milhões investidos nas estruturas das unidades escolares com verbas do Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (Pdaf);
– As escolas também receberam R$ 42 milhões em investimento para reformas e reparos por meio de contratos de manutenção das unidades;
– Nomeados 821 professores efetivos e 41 profissionais da Carreira Assistência à Educação.

 

*Com informações da Secretaria de Educação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
20 − 17 =