O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, durante entrevista coletiva.

Voto eletrônico

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, continua sua “cruzada santa” contra os ignorantes e farsantes, que tentam a todo momento desacreditar o voto impresso. Em entrevista, Barroso voltou a defender o sistema eletrônico eleitoral por ser “absolutamente seguro”. E disparou: “o sistema está em aplicação desde 1996 e jamais documentou qualquer tipo de fraude”. Entre os políticos, a versão é a de que os que atacam o sistema eletrônico de votação estão querendo é “facilidade para uma suposta tentativa de fraude, o que já se mostrou impossível até o momento”.

Armas e o STF

Não é novidade para ninguém que o presidente Jair Bolsonaro com sua visão ditatorial de muitos assuntos não encontra guarida nos tribunais superiores. O próximo embate de Bolsonaro junto ao STF será referente ao julgamento do decreto de ampliação do porte de armas. Como é de conhecimento público, o Brasil está precisando de muita coisa – de comida a gás mais barato – e não de mais armas. A tendência dos ministros é contrária a mais armas.

MP estranha

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), deve devolver a estranha MP editada pelo presidente Jair Bolsonaro, que limita a remoção de conteúdos abusivos publicados nas redes sociais. Uma verdadeira proteção as fake news do mundo bolsonarista nas redes sociais. A consultoria legislativa do Senado está avaliando a constitucionalidade da MP.

Esplanada livre

Depois do “mico” da tentativa de golpe bolsonarista, a Esplanada dos Ministérios voltou a normalidade. Já foram para casa aqueles seres estranhos e ignorantes que acreditaram que chegariam em Brasília e fechariam o Congresso, o STF e sei lá mais o que.

Boulos pré-candidato

Aconteceu o previsto: o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), Guilherme Boulos, teve sua pré-candidatura ao governo de São Paulo aprovada, no domingo, durante o congresso estadual do PSOL. Só para lembrar, Boulos perdeu a eleição para o ex-prefeito Bruno Covas (PSDB), mas conquistou 41% dos votos válidos superando até mesmo o candidato do PT, Jilmar Tatto.

Protestos

As manifestações do MBL não tiveram o sucesso desejado. Alguns falam que houve um boicote de partidos. A alegação foi a de que o tal MBL apoiou a eleição de Bolsonaro. Só que nem tudo está perdido. As informações são de que partidos de esquerda, centro e direita vão tentar unificar as agendas de protestos para a manifestação do próximo dia 15 de novembro.

Terceira via

O confuso fundador do Partido Novo, João Amoêdo, diz que a manifestação d MBL na avenida Paulista, domingo, é um passo à frente na difícil terceira via para as eleições de 2022. E mais: Amoedo descobriu que os partidos políticos estão muito divididos no Brasil.

Zé Trovão

Salvo engano, o caminhoneiro foragido Marcos Antônio Pereira Gomes, o Zé Trovão, está sendo vítima de acusações graves. Pelas redes sociais circula a versão de que não é caminhoneiro e nem tem sequer carteia de motorista. Há quem diga que se trata de uma fake news contra o líder dos caminhoneiros.

Guerra civil

Pela rede social, o pastor evangélico e deputado federal Otoni Moura de Paulo Junior (PSC-RJ) diz com todas as letras que “vai ter uma guerra civil” no Brasil. Não se sabe com base em que dados o parlamentar diz tal coisa. Pode até ser uma visão fake news.

Porteira fechada

O neófito prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, pode estar comprometendo seu futuro político em função de sua pressa em tentar chegar ao governo de Goiás sem qualquer base e experiência política. E para pior ainda mais a situação, o governador e candidato à reeleição Ronaldo Caiado antecipou a escalação do presidente do MDB-GO, Daniel Vilela, para ser o vice na disputa eleitoral de 2022. Literalmente, Caiado fechou a porta.

 

Carlos Honorato
pontofinal@carloshonorato.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
18 + 8 =