Qual o candidato da 3ª via?

A chamada terceira via tem um problema sério para se viabilizar até as eleições de 2022: escolher um candidato entre o ex-juiz Sérgio Moro, o governador de São Paulo, João Doria, Ciro Gomes, cuja estratégia é tentar desconstruir a candidatura e os governos do ex-presidente Lula, Luiz Henrique Mandetta e o indefinido presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, possível candidato do PSD, de Gilberto Kassab. Fica a pergunta: quem vai abrir mão da candidatura em nome da terceira via?

Bobagens diárias

Setores do novo União Brasil – fruto da fusão entre o DEM e PSL – acreditam que as “bobagens diárias” praticadas e ditas pelo presidente Jair Bolsonaro podem servir de “excelente combustível” para viabilizar e derrotar o presidente com um candidato da ainda imaginária terceira via.

Caso André Mendonça

Já se comenta que o direitista evangélico André Mendonça, indicado para o Supremo Tribunal Federal pelo presidente Jair Bolsonaro, pode terminar perdendo a vaga. Tanto que depois que o ministro Ricardo Lewandowski negou pedido para marcar a sabatina, o presidente da CCJ do Senado, senador David Alcolumbre, tem dito que o assunto deverá ficar para 2023. Detalhe: em 2022 o senador deverá disputar a reeleição ou o governo do Amapá.

Relatório da CPI

O já visto como polêmico relatório do senador Renan Calheiros, relator da CPI da Pandemia, deverá ser lido no próximo dia 19, terça-feira. O senador governista Eduardo Girão (Podemos-CE) promete um “relatório independente” já apelidado de “genérico”.

Malafaia em alta

Já tem gente apostando que o carioca e empresário da fé Silas Malafaia, líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, já estaria se preparando entrar para a política, tipo Câmara ou Senado. Muito ouvido pelo presidente Jair Bolsonaro, Malafaia ainda não se pronunciou, apesar de bolsonaristas acharem que seria um bom vice para 2022. Atualmente assumiu a causa de André Mendonça, indicado há três meses para o STF e ainda não sabatinado.

Debandada

Ainda não é possível fazer qualquer cálculo, mas alguns políticos estão apostando que mais de 20 deputados do PSL e da bancada aliada do presidente Jair Bolsonaro podem deixar o “União Brasil” – fruto da união PSL e DEM – até o final do prazo da janela partidária até abril de 2022.

Romário

O senador Romário foi um craque nos gramados, mas na política tem cometido alguns deslizes em suas análises. Uma delas foi elogiar o governo do presidente Jair Bolsonaro por ter feito muitas “coisas positivas”. Pelas últimas pesquisas, as avaliações do gênio da pequena área estariam incorretas. Segue o jogo.

Prisões

Pelas redes sociais bolsonaristas agitados com a possibilidade de que o ministro Alexandre de Moraes (STF) decrete novas prisões nos inquéritos ligados a fake news. Os mais afoitos falam até no nome de Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro.

Creches

O governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB) prevê a construção de mais 14 novas creches no DF. É bom lembrar que no começo do governo tinham 22 mil crianças aguardando um a vaga em creche. O número caiu para 10 mil. A tendência com as novas unidades é a melhora significativa do atendimento.

Candidato tucano?

Alguns políticos de Goiás acreditam que o prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha (sem partido), poderia ser uma boa opção de candidatura ao governo de Goiás pelo   PSDB, do ex-governador Marconi Perillo. Só que os tucanos não pensam no tema no momento.

Mães de Goiás

O novo programa de transferência de renda, o Mães de Goiás, chega a região do Entorno do Distrito Federal. A entrega dos cartões começou por Padre Bernardo e continua até o próximo dia 27. Ao todo, 10.505 mulheres serão contempladas com o benefício (R$ 250 mensais) em nove municípios.

 

Carlos Honorato
pontofinal@carloshonorato.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
26 + 29 =