Esforço ambiental

Apesar dos nossos números ambientais estarem péssimos – a gestão do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, está devendo muito -, o Brasil não é o único país do mundo que não cumpre suas metas. Inúmeros países ricos estão descumprindo as chamadas metas do Acordo e Paris. Tanto que Brasil, Estados Unidos, Canadá, Coréia do Sul e Austrália não vão cumprir suas metas, caso não façam um esforço extra para tentar cumprir suas metas ambientais. Um relatório da ONU deixa isso muito claro. E mais: a promessa de repassar algo em torno de US$ 100 bilhões para os países pobres gastarem com ações climáticas até 2020 não foi cumprida. As ações em temas ambientais em muitos países estão limitadas a chamada “boa intenção”.

Apoio a Salles

Exageros à parte, o presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, o deputado Sergio Souza (MDB-PR) é um dos poucos defensores da política ambiental do governo Jair Bolsonaro comanda pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. O parlamentar diz que Salles é qualificado para a função. Atribuiu os ataques a falta de comunicação.

Mourão excluído

Apesar de ser presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal, o vice-presidente Hamilton Mourão foi excluído das negociações sobre a participação brasileira na Cúpula dos Líderes sobre o Clima, organizada pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. A impressão é a de que se pudesse Bolsonaro já teria demitido Mourão, uma espécie de tecla sap do presidente.

Pesquisa

A CPI da Covid-19 ainda nem começou, mas a avaliação do governo Bolsonaro chegou no seu pior patamar. Uma pesquisa Exame/Ideia mostra que 54% dos entrevistados desaprovam a forma como trabalha o presidente. Em janeiro passado, o índice era de 37%. Parlamentares da oposição estão apostando que as primeiras revelações da CPI devem reduzir ainda a mais a aprovação do governo.

Saúde emocional

Uma pesquisa feita pelo Instituto Ipsos sobre a saúde emocional e mental dos brasileiros em meio a pandemia mostra uma situação preocupante. Isto porque 53% dos brasileiros disseram que seu bem-estar mental piorou um pouco ou muito no último ano.

Absurdo

O legislativo estadual no Brasil sempre dá sinais de atraso. Tanto que deve ser votado nos próximos dias na Assembleia Legislativa de São Paulo um projeto proibindo a veiculação de propagandas com a presença de LGBTs. O projeto gerou revolta na comunidade LGBT+, publicitários, juristas evangélicos etc.

Publicidade

A Câmara Legislativa vem atrasando desde o ano passado os pagamentos da publicidade de alguns veículos de comunicação do DF. As desculpas são as mais variadas possíveis. Salvo engano, não é por falta de recursos.

Novo cargo

O ex-ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, acaba de ser nomeado para a Secretária-geral do Exército. Entre as funções do general está a de preparar reuniões do Alto Comando do Exército. Pazuello deverá ser ouvido em breve pela CPI da Covid-19. Só para lembrar, o general ficou à frente do Ministério da Saúde de maio de 2020 a março último.

Transporte

Já não é de hoje que a empresa de transporte coletivo Marechal enfrenta dificuldades financeiras, o que vem gerando paralisações dos funcionários. Há quem diga que a solução seria uma nova licitação de ônibus no DF.

CPI e Aziz

O ex-prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB), acredita que o senador Omar Aziz (PSD-AM) não deveria ter aceitado a presidência da CPI da Covid. O motivo é a Operação Maus Caminhos, que constatou desvios milionários na área de Saúde nos governos de Omar Aziz e José Melo.

Eleições 2022

Avaliações feitas pelo cientista político Guilherme Carvalho ao jornal Opção mostram que DEM, PP, PL e PSD podem ser mais competitivos nas eleições de 2022 em Goiás. O MDB e o PSDB são vistos como bem enfraquecidos para a disputa eleitoral.

 

Carlos Honorato
pontofinal@carloshonorato.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
19 − 11 =