Debaixo de neve, franceses conquistam ótima vantagem para jogo de volta das quartas de final em Paris na próxima terça-feira. Marquinhos também deixa o seu, mas sai lesionado

Bayern de Munique 2×3 Paris Saint-Germain

  • Resumão

    As redes sociais pediam o dia de Neymar. E foi. Mas também foi o dia de Mbappé e Navas. A soma dos fatores levou o PSG a derrotar o Bayern por 3 a 2, nesta quarta-feira, numa Munique debaixo de neve, no jogo de ida das quartas de final da Liga dos Campeões e reencontro da última decisão. O craque brasileiro deu duas belas assistências, enquanto o francês marcou mais duas vezes. Lá atrás, o goleiro costarriquenho segurou um bombardeio de finalizações dos alemães e assegurou a ótima vantagem para a decisão na terça que vem, em Paris. Marquinhos fez o dele, enquanto Choupo-Moting (lei do Ex) e Müller descontaram.

  • MORTAL

    O desenho do jogo permitiu a melhor versão de Mbappé, letal quando acionado em contra-ataques. Não foram muitas vezes ao longo dos 90 minutos, é bem verdade, mas o camisa 7 francês não precisa de tanto. Logo aos três minutos, Neymar tabelou com Di María, puxou a marcação e deixou Mbappé livre para chutar. Neuer falhou feio: 1 a 0. Na etapa final, aos 23, foi Di María quem deu a assistência para ele cortar para o meio e bater por baixo, surpreendendo Boateng. O estrago já estava feito.

  • NOITE DE GARÇOM

    Depois de ser expulso contra o Lille no sábado, Neymar brindou os críticos com uma grande atuação. As duas assistências foram belíssimas, especialmente a segunda, para Marquinhos, aos 28 minutos do primeiro tempo, lançando com a canhota enquanto a defesa do Bayern saía para deixar o zagueiro em impedimento. Suspenso no Francês por dois jogos, poderá descansar para estar em campo no Parque dos Príncipes depois de evitar um amarelo hoje – embora siga pendurado para uma eventual ida da semifinal.

  • SEGURANÇA LÁ ATRÁS

    Das 31 finalizações do Bayern no jogo, 12 foram no alvo. Navas conseguiu fazer 10 defesas, algumas delas de alto nível de dificuldade, e não teve culpa alguma nos gols sofridos de Choupo-Moting e Thomas Müller, ambos de cabeça, um em cada tempo. O goleiro do PSG precisou comparecer diante da fragilidade de sua defesa, recheada de desfalques.

  • PREOCUPAÇÃO PARA A VOLTA

    Marquinhos vinha sendo um gigante em campo, não apenas pelo gol. Era ele quem garantia bloqueios e cortes na área… Até sentir um problema muscular aos 30 minutos. Saiu para a entrada de Herrera (Danilo foi para a zaga), e desde então o Bayern passou a ganhar a maioria das bolas aéreas. Sua presença no jogo de volta, terça-feira, é incerta. Além dele, o PSG perdeu Diallo, também com lesão, e já não contava com Florenzi, Bernat, Kurzawa, Paredes e Verratti na proteção à defesa.

  • QUE FRIACA!

    É primavera na Europa, portanto, ter um jogo nessa altura do ano com 1ºC e debaixo de neve foi até certo ponto surpreendente. Mas rendeu ótimos cliques dos fotógrafos. Veja as melhores imagens aqui.

FIM DE JOGO

Fonte: GE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
6 ⁄ 1 =