Brasília Agora
Brasília Agora


COLUNAS

Ponto Final

10 de junho, 2024 / Por: Carlos Honorato

Lula e alianças

De olhos nas chamadas “cidades-chaves”, o presidente Lula começou a trabalhar no sentido de organizar alianças do PT e da esquerda.

Ponto Final
Foto: reprodução

A luz de alerta foi acesa quando se notou que fragilidades na aliança entre o Psol, do candidato à prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos. A ideia é tentar indicar o vice na chapa de Eduardo Paes, Rio, e João Campos, em Recife. Só que a vice do prefeito de Recife já está meio que decidida e não é do PT. Paralelo a isso, o PT fala em fazer uma espécie de “peneira” na lista de pré-candidatos do partido nas chamadas “grandes cidades”. O temor é que já seja tarde demais.

Bolsonaro e Nunes

Tem gente apostando que o apoio do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) a reeleição do prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB) corre risco. A pendenga da vez é que Bolsonaro quer indicar a vereadora Sonaira Fernandes (PL) – ligada a família – para ser a vice na chapa de Nunes. Só que assessores do prefeito classificam a vereadora como “bolsonarista demais”. Os bolsonaristas paulistas dizem que Nunes precisa dos votos de Bolsonaro para se reeleger, mas não quer dar nada em troca.

Desistência

Depois das absolvições do senador Sérgio Moro das acusações de vantagem indevida nas eleições e 2022, o PT resolveu abandonar o que alguns chamam de “vingança do passado”. Já se fala nos bastidores de que o senador poderá tentar disputar o governo do Paraná nas eleições de 2026. Será que o ex-presidente Jair Bolsonaro vai apoiar?

Ação conservadora

Qualquer observador da política já entendeu que as constantes derrotas no Congresso deixam claro a total fragilidade do governo nas suas alianças fechadas com a distribuição de ministérios etc. Os mais apressados chegam a dizer que a classificada como “maioria conservadora” estaria definindo as formas do governo agir. Assim, sem força, o presidente Lula estaria aceitando as regras do conservadorismo. A conferir.

Delírios

Os absurdos que circulam sobre a ainda distante eleição de 2026 no DF pira a cabeça de qualquer cristão novo. Tem alguns recém convertidos ao “bolsonarismo de ocasião” que apostam até em alianças impossíveis.

Reforma agrária

O sabe tudo e economista João Pedro Stedile, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), diz com todas as letras que o governo Lula “está em dívida” com a reforma agrária como se fosse uma coisa simples e fazer. E dispara “É uma vergonha. Nós já estamos há um ano e meio, não avançamos. Desapropriação não avançou. O crédito para os assentados não avançou, nem o Pronera [Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária]”.

Enrolation

Alguns direitistas com amnésia sobre o governo passado dizem que o presidente Lula (PT) está na sua fase “enrolation” desde o começo do governo. Não se lembram nada do governo da destruição anunciado ainda na campanha eleitoral.

União Brasil

A chamada gestão “cangaceira” de Luciano Bivar a frente do União Brasil se despede amanhã com a posse da nova executiva nacional do partido. Exageros à parte, o bastão da presidência será entregue ao novo presidente eleito Antônio Rueda.

Endrick

O jovem atacante da Seleção Brasileira, Endrick ganha destaque no mundo, principalmente depois de brilhar no jogo contra o México. Detalhe: tem apenas 17 anos, três anos como profissional no Palmeiras e três gols com a amarelinha. Já é jogador do Real Madrid.


Gayer

Dentro do PL goiano uma coisa é dada como certa: Gustavo Gayer será o candidato do partido à Prefeitura de Goiânia. Uma questão que ainda paira é o fato de que Gayer começa a navegar na chamada “elite” do bolsonarismo no Congresso e a candidatura em Goiânia poderia ser vista como uma espécie de “desvio de rota”.


[email protected]