Saque do auxílio emergencial

Pesadelo em 2021

O ano de 2021 vai começar como um pesadelo para grande parte dos brasileiros que não terão mais o auxílio emergencial, além dos milhares de desempregados. Aliado ao fracasso do governo em não conseguir criar um novo programa social, o Brasil deverá ver aumentar ainda mais o desemprego e a pobreza. Em quadro tão desanimador, crescimento econômico rápido é um mero objeto de ficção, mas alguns setores da economia prometem contratações para o início de 2021.

 

Só inveja

O presidente Jair Bolsonaro já rifou o general Hamilton Mourão para as eleições de 2022. Há quem diga que o presidente morre de inveja da facilidade como Mourão trata dos assuntos mais espinhosos provados por Bolsonaro sem qualquer dificuldade.

 

Sem paciência

Como grande parte da população brasileira, o ex-ministro Fernando Haddad (PT) também perdeu a paciência com o presidente Jair Bolsonaro. Tanto que chamou o presidente de “imbecil” e pediu para ele “calar essa boca um santo dia”. Tudo em função de um vídeo onde Bolsonaro diz mais um absurdo sobre o ‘risco’ de alguém “virar jacaré” ao tomar a vacina da Pfizer.

 

Nova derrota

Fechando o ano dos fracassos eleitorais de Bolsonaro, o deputado estadual Dr. Furlan (Cidadania) foi eleito Prefeito em Macapá com 55% dos votos, derrotando o candidato do presidente, Josiel (DEM), irmão do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, que teve 44% dos votos.

 

Solidariedade

Pela primeira vez em 15 anos e para não deixar o presidente do STF, Luiz Fux, tomar decisões sozinho, alguns ministros resolveram trabalhar no recesso de final de ano. Os ministros Marco Aurélio Mello, Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Alexandre de Moraes já disseram presente a sacrificante tarefa.

 

Oposição

Nem tudo é festa na Câmara Legislativa do DF com a reeleição do presidente Leonardo Prudente. Pelo menos é o que diz o deputado da oposição Leandro Grass (Rede). Em alto e bom som ele dispara: “Uma Casa que se abstém do seu papel, da sua função constitucional, que é fiscalizar o Poder Executivo”.

 

Educação

O governo de Ibaneis Rocha (MDB-DF) tem demonstrado preocupação com as Educação. Tanto que já nomeou 821 novos professores para a rede pública de ensino. Ao concluir o segundo ano de governo, o GDF nomeou um total 1.679 profissionais aprovados em concurso realizado em 2016. A previsão era de apenas 800.

 

Contra vacina

Pelas redes sociais o chamado “Movimento conservador” manifesta seu apoio a manifestação – acham que será gigante – contra a vacina obrigatória na terça-feira, a partir das 16 horas, no Museu Nacional. Muitos internautas acham que é falta do que fazer ou coisa de extremistas bolsonaristas.

 

Prioridade

O governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), sancionou a lei do deputado Robério Negreiros (PSD), que dá prioridade à matrícula na rede de ensino público ou privada de crianças e adolescentes, cuja mãe tenha sido vítima de violência doméstica ou familiar, definida pela Lei Maria da Penha. Comemorando a lei, o deputado Robério Negreiros disse que “o governador entendeu que devemos priorizar o bem-estar de crianças expostas à violência doméstica”.

 

Credibilidade

O processo de destruição do governo está tão sério que a Ambev – famosa fábrica de cervejas – tem mais credibilidade do que a Anvisa nas redes sociais.

 

Carlos Honorato
pontofinal@carloshonorato.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
20 − 3 =