O deputado Eduardo Pedrosa defende a importância de se educar o homem para que cuide de sua saúde e desenvolva o hábito de periodicamente se submeter a consultas médicas e exames de controle

A política distrital de atenção dedicada ao cuidado e à saúde do homem, relacionada à Deficiência Androgênica do Envelhecimento Masculino (DAEM) e à Disfunção Erétil (DE), objeto da Lei 7.055/22, foi publicada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) nesta semana. O deputado Eduardo Pedrosa (DEM) é o autor da proposta.

O deputado Eduardo Pedrosa defende a importância de se educar o homem para que cuide de sua saúde e desenvolva o hábito de periodicamente se submeter a consultas médicas e exames de controle

Foto: Reprodução/Web

De acordo com a legislação, a DAEM refere-se a um conjunto de sinais e sintomas decorrentes da diminuição da libido, disfunção erétil, aumento da gordura visceral, perda de massa muscular, perda de massa óssea, depressão, desânimo, dificuldade de concentração, perda da memória, irritabilidade, declínio do sono e anemia associados à redução nos níveis séricos de testosterona. Já a Disfunção Erétil é classificada como a incapacidade de alcançar ou manter uma ereção satisfatória para poder proporcionar relações sexuais satisfatórias.

Educação e participação masculina

Além de prevenir e tratar essas disfunções, outro objetivo da nova lei é estimular a participação masculina nas atividades de prevenção de doenças comuns dos homens, como doenças da próstata e infertilidade, entre outros agravos relacionados à saúde e à sexualidade masculina.

Para Pedrosa, é fundamental educar o homem para que cuide de sua saúde e desenvolva o hábito de periodicamente se submeter a consultas médicas e exames de controle, bem como é necessário que os serviços de saúde reconheçam os homens como sujeitos que necessitam de cuidados.

Franci Moraes – Agência CLDF

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
19 + 5 =