O mito e o posto

O presidente não esconde mais sua insatisfação com os números apresentados no desempenho econômico de Paulo Guedes. O problema é que trocar o ministro agora, no meio da crise, seria sinalizar a completa falta de rumo do governo na área econômica. Além da inflação bem acima do teto (8,9% segundo o INPC nos últimos 12 meses), Bolsonaro anda irritado com os “chutes” do Ipiranga, que costumam sair bem errados.

O mito e o posto II

Virou piada a avaliação de que os cofres da União poderiam faturar mais de R$ 1 trilhão com a venda de imóveis. Refeitas as contas, o que se viu foi um resultado bem abaixo, cerca de R$ 39 bilhões.  Junte-se isso ao arremedo de reforma tributária, na qual Guedes só apresenta de concreto a junção do PIS e do Confins. Até o compromisso de campanha de Bolsonaro de Isentar no IR as faixas até R$ 5 mil foram pro espaço. No máximo, chegaria a pouco mais de R$ 2,5 mil.

O mito e o Posto III

Pra piorar, Guedes anda defendendo a vacinação como fundamental para a retomada da economia. E vacinação é um tema que incomoda ainda muito presidente, principalmente com a CPI em andamento. O que se comenta no Planalto é que de capitão do time, Guedes virou uma figura que é tolerada, até porque não tem ninguém no banco, ou nos bancos….

Frutas puxam índice pra baixo no DF

Os preços registrados no Distrito Federal no mês de maio sofreram variação de 0,27%, de acordo com o IPCA. É o menor resultado dentre as 16 regiões pesquisadas pelo IBGE, e ficou bem abaixo da média nacional (0,83%). O grupo de alimentação e bebidas obteve destaque na contribuição negativa, reduzindo -0,05% ponto percentual (p.p.) no índice geral do mês. Muito pela queda no preço de frutas que chegou a 10% em algumas variedades, como banana.

Saúde puxa pra cima

Os produtos que contribuíram para reforçar a inflação no mês no DF pertencem aos grupos de saúde e cuidados pessoais (0,87% e 0,12 p.p.), habitação (0,58% e 0,08 p.p.), artigos de residência (1,17% e 0,04 p.p.), transportes (0,14% e 0,03 p.p.), vestuário (0,63% e 0,03 p.p.), despesas pessoais (0,15% e 0,02 p.p.) e comunicação (0,17% e 0,01 p.p.).

Taxistas recebem auxílio

O Governo do Distrito Federal pagará hoje (10) a segunda parcela do programa Mobilidade Cidadã. O benefício foi criado para minimizar os impactos da pandemia junto a taxistas e motoristas de transporte escolar. As parcelas são no valor de R$ 600. Os taxistas que ainda não possuem cartão podem consultar no site gdfsocial.brb.com.br para confirmar a agência do BRB de retirada.

Reforço para a NF-e

A Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou projeto de lei que determina que “as pessoas jurídicas que recebem recursos oriundos de qualquer relação jurídica com o Distrito Federal, ficam obrigadas a adquirir produtos e serviços somente em estabelecimentos comerciais que emitam Nota Fiscal (NF-e)”.  O texto foi aprovado em primeiro turno, com 13 votos favoráveis, e ainda precisa ser analisado em segundo turno. O projeto desobriga os Microempreendedores Individuais (MEI) da determinação.

 

bsbagora@gmail.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
32 ⁄ 8 =