Ciro, PT, bancos e pobres

O candidato do PDT, Ciro Gomes, diz em alto e bom som nas redes sociais que durante o período em que o ex-presidente Lula mandou no Brasil os bancos ganharam nada mais nada menos do que R$ 4 trilhões. E garante: “os bancos nunca ganharam tanto”. Traçando um paralelo entre bancos e pobres, Ciro explica que, enquanto isso, os pobres ganharam R$ 322 bilhões de reais. No entender do candidato, “como ninguém nunca tinha feito nada pelos pobres ficou parecendo que o Lula fez muito”. E mais: o candidato do PDT diz que o ex-presidente petista fez menos reforma agrária do que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Doria e Moro

O governador de São Paulo e candidato do PSDB à Presidência da República, João Doria, diz que estará com o ex-juiz Sergio Moro no mesmo campo em 2022. Ainda não se sabe em que situação.

PL Rio

O senador Flávio Bolsonaro vai ser uma das vozes decisivas do PL-RJ. O atual presidente da legenda no Rio continua sendo o deputado Altineu Cortes, mas dividirá com o filho do presidente Jair Bolsonaro as decisões. A ideia é aumentar a bancada tanto na Alerj como na Câmara Federal.

De volta

O bolsonarista Daniel Silveira (PSL-RJ) está de volta à Câmara dos Deputados depois de cinco meses de prisão. Agora toma todos os cuidados para não dar declarações destemperadas e fora do padrão político da casa. Isto porque a votação da pena de suspensão do seu mandato aguarda votação. Aposta no apoio do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

Suborno

Alguns políticos e jornalistas dizem em alto e bom som que a chamada “emenda de relator” é o maior instrumento de “suborno coletivo” do planeta. Talvez seja por isso que os políticos brigam o tempo todo pela sua permanência e sem exigências.

TCU

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), está na disputa da vaga para o TCU. Só que os adversários dizem que o senador não tem chances na disputa, pois responde a processos na justiça. A senadora Katia Abreu (PP-TO) também está na disputa, mas não conta com o apoio do presidente licenciado do partido, senador Ciro Nogueira.

Prefeitos

Oito em cada dez prefeitos do Brasil estão ameaçados de serem enquadrados na Lei de Responsabilidade Fiscal e podem até ficar inelegíveis. O motivo é bem simples: não aplicaram 25% do orçamento do município em Educação como recomenda a Constituição.

Réveillon

Várias cidades do Brasil já cancelaram as festas de Réveillon. Só que muitos clubes têm anúncios da comemoração em quase todo o pais em suas páginas na internet. Claro que os anúncios foram feitos antes das proibições. No DF, por exemplo, o Pontão tem programação de Réveillon. Espera-se que prevaleça o bom senso.

Variante

A variante Ômicron encontrada a primeira vez na África do Sul já tem registro em mais de 30 países. Só que, segundo a OMS, até a sexta-feira passada ainda não havia registro de morte provocada pela nova variante.

Pós-Covid

O Brasil já passou por três ondas da Covid-19 com o registro de mais de 615 mil mortos. Apesar do avanço da vacinação, o governo até o momento não tem o controle das pessoas com as chamadas “condições pós-Covid”, que precisam de acompanhamento médico para a plena recuperação. Segundo o Ministério da Saúde, existem 22 milhões de pessoas vistas como recuperadas.

Meirelles e suplentes

A corrida para o Senado em Goiás pelo PSD está bem interessante. O pré-candidato é milionário e poderoso ex-presidente do Banco Central, Henrique Meireles, que está com João Doria em viagem aos EUA. Mesmo sem ainda ter batido o martelo, Meirelles já tem uma fila de pretendentes a suplentes. Todos sem qualquer interesse, claro.

 

Carlos Honorato
pontofinal@carloshonorato.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
4 + 10 =