Ciro e a verdade

Um candidato bem colocado na corrida presidencial é uma alegria para as demais disputas do partido, principalmente para deputados federais. E não é isso que está acontecendo no PDT, que vive uma crise interna com a candidatura de Ciro Gomes empacada. Em último caso, Ciro poderia ser candidato a deputado federal ou senador para alavancar votos para o PDT. Só que talvez a vaidade de Ciro o impeça de gesto de tal grandeza. Na avaliação de parlamentares do partido, a candidatura de Ciro não conseguiu se viabilizar e está praticamente fora da disputa presidencial.

Nova pesquisa

O ex-presidente Lula continua liderando a corrida presidencial. Pesquisa do Ipespe mostra Lula com 44% dos votos. O presidente Jair Bolsonaro (PL) aparece com 24%. O terceiro colocado é o ex-juiz e ex-ministro de Bolsonaro, Sergio Moro (Podemos) com 9% dos votos.  Na sequência estão Ciro Gomes (PDT) com 7%, João Doria (PSDB), com 2%, Simone Tebet (MDB), Rodrigo Pacheco (PSD) e Felipe D´Avila (Novo) com 1%.

Ciro Nogueira forte

O ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, virou uma espécie de “primeiro ministro” do governo de Jair Bolsonaro. Por determinação do presidente, o ministro agora terá a palavra final sobre as finanças do governo. O movimento do governo enfraquece ainda mais o ministro da Economia, Paulo Guedes, cuja lista de fracassos na economia só aumenta.

Disputa no RN

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, sonha em ser o vice do presidente Jair Bolsonaro. Só que é algo um pouco distante. O plano B seria disputar uma vaga de senador pelo Rio Grande do Norte. Só que em tal disputa terá pela frente o também ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, já em campanha para o Senado.

Nanico

Alguns visionários acreditam que o governador de São Paulo e pré-candidato à Presidência da República, João Doria, corre o risco sair da eleição transformando o PSDB em um partido nanico ou próximo disso. Exageros à parte, tucanos acham tal previsão um “absurdo”.

Braga Netto

Alguém acredita que o ministro da Defesa, general Braga Netto, tem jeito para ser vice na chapa de Jair Bolsonaro? Alguns políticos dizem que o general não tem o “traquejo político” necessário para a função. Não é preciso dizer que o Centrão acha a mesma coisa e diz ter nomes melhores.

Sobrevivência

Correndo o risco de desaparecer depois das eleições de outubro, a Rede está lançando o seu plano mais ousado: Marina Silva (dona do partido) e Heloisa Helena (Rede-AL) serão candidatas a deputadas federais. É a luta pela sobrevivência.

PRTB

Ainda não foi batido o martelo, mas o deputado federal Eduardo Bolsonaro, campeão de votos nas eleições de 2018 em São Paulo, poderá disputar a reeleição pelo PRTB.

Regras de Moro

Em uma longa entrevista à revista IstoÉ, o pré-candidato do Podemos à Presidência da República, o ex-juiz Sérgio Moro, diz claramente: “Não quer um Brasil com essa deterioração institucional que vem desde o governo do PT, com mensalão e o petróleo; agora, são as rachadinhas e o orçamento secreto de Bolsonaro”.

Risco de Alckmin

Dentro do PT tem muita gente contra a ideia do ex-governador Geraldo Alckmin (sem partido) virar vice na chapa do ex-presidente Lula. Amigos de Alckmin alertam que se não virar o vice na corrida presidencial o ex-governador encerra sua carreira de forma melancólica.

Reeleição

Martelo batido. O senador Álvaro Dias (Podemos-PR) será candidato a reeleição. Tudo ficou possível depois que o ex-juiz Sergio Moro decidiu que será mesmo candidato à Presidência da República.

 

Carlos Honorato
pontofinal@carloshonorato.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
7 − 6 =