Celina no palanque de Ibaneis

Aliada do governador do DF, Ibaneis Rocha, nos bons e maus momentos, a deputada federal Celina Leão já sabe em que palanque vai estar nas eleições de 2022.  Em entrevista ao programa “Conectado ao Poder”, da Rádio Metrópoles, comandado pelo jornalista Sandro Gianelli, Celina foi cristalina: “Vou estar onde Ibaneis estiver. Sou muito franca e comigo não existe meio apoio. Sou muito leal nas minhas convicções. O PP vai caminhar com o governador em 2022. Se tem partidos por aí que ainda não sabem a onde vão estar, o meu partido já sabe que vai ficar ao lado do projeto do governador”.

PTB em crise

O PTB-DF está vivendo uma crise interna com a chegada da família Faraj, que rompeu um acordo firmado com a deputada Jaqueline Silva. Diante de tal quadro a parlamentar já ensaia uma saída do partido. Para piorar a situação, vários candidatos a deputada distrital anunciam que vão sair do partido. A ex-deputada Sandra Faraj, que antes sonhava com uma vaga na Câmara dos deputados agora quer disputar uma vaga de distrital na Câmara Legislativa do DF.

Traição

O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, deve conversar essa semana com a deputada distrital Jaqueline Silva. A conversa deve ser uma espécie de lavagem de roupa suja em função da suposta traição da família Faraj contra a parlamentar.

Reeleição

Está chegando a chamada “hora da verdade” para muitos deputados distritais. Já se fala que a renovação da Câmara Legislativa deve atingir algo em torno de 60%. Aliás, alguns deputados têm consciência de que fazem um péssimo mandato e que terão dificuldades para a reeleição.

Volta da polarização

Apesar de faltar um ano e meio para as eleições, as pesquisas mostram que poderemos ter uma polarização entre o presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Lula. Os mais apressados acreditam que se Bolsonaro continuar caindo as pesquisas o risco é de que o presidente fique fora do segundo turno. Só que está muito longe para cravar que tal fato aconteça. Mesmo assim, os equívocos no combate a pandemia, o retorno de Lula ao cenário político e a CPI da Covid deixam o presidente Jair Bolsonaro a beira de um ataque de nervos.

Em silêncio

O general e ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, já conseguiu um habeas corpus preventivo para ficar calado na CPI da Covid. Agora foi a vez da secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Mayra Pinheiro, também pedir ao STF a mesma coisa. Todos dizem que não fizeram nada de errado, mas lutam para ficar em silêncio.

Boulos

O coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, deve ser candidato a deputado federal pelo PSOL-SP. A ideia é que nas eleições de 2024 Boulos possa vir a ser candidato à prefeitura de São Paulo, mas pelo PT.

Iurd e Lula

São cada vez mais fortes os comentários de que a Igreja Universal poderia apoiar Lula nas eleições de 2022. Só para lembrar a Iurd aderiu ao governo Lula em 2003 e só rompeu em 2016. Por hora a Universal não trata do tema de forma possível.

CPI no AM

A deputada estadual Nejmi Aziz (PSD-AM), mulher do senador Omar Aziz, presidente da CPI da Covid no Senado, assinou o pedido de CPI na Assembleia Legislativa do Amazonas para investigar os gastos de recursos estaduais e federais no Estado do Amazonas com a pandemia na gestão do governador Wilson Lima (PSC).  A deputada não quis dar explicações sobre as razões que a levaram assinar o pedido de CPI.

Marília lidera

O Instituto Opinião, de Campina Grande (PB), divulgou a primeira pesquisa sobre a corrida eleitoral em Pernambuco no BlogdoMagno (Recife). A deputada federal Marília Arraes (PT-PE) lidera a corrida com 26,8%. Em segundo lugar está Raquel Lyra (PSDB-PE) com 9%.

 

Carlos Honorato
pontofinal@carloshonorato.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
3 × 3 =