Palco de mentiras

A CPI da Covid está se transformando em um palco de mentiras. Só que existem depoentes que falaram a verdade e outros tremeram e mentiram descaradamente.  Poucas pessoas foram cristalinas nas repostas sobre participações em determinados episódios da pandemia. Muitos tentaram esconder verdades para proteger pessoas do governo e terminaram deixando um rastro de dúvidas ou confirmações de mentiras quando confrontados com outros depoimentos. Até o momento, o depoimento mais sensato e de frente para a ciência foi o da médica infectologista Luana Araújo (foto), que chegou a mostrar a ignorância científica dos governistas no que se refere ao inexistente tratamento precoce para a Covid-19. Mesmo assim, a “bancada da cloroquina” continua distribuindo fake news sobre a enganosa “eficácia” do medicamento.

Lamentável

O novo depoimento do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a CPI da Covid foi mais lamentável do que o primeiro. Ele passa a impressão de que não pode perder o emprego. Há quem diga que Queiroga é um Eduardo Pazuello com diploma de Medicina. Nada mais.

Ameaça

O polêmico líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (Progressistas-PR), acredita que vai “chegar a hora” em que as decisões judiciais deixarão de serem cumpridas. Alguns políticos dizem que em se “tratando de governo Bolsonaro tudo é possível”. A declaração do parlamentar foi interpretada como uma ameaça do governo ao Judiciário.

Alerta

Um alerta sério do presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Carlos Lula: as 3 milhões de doses da vacina da Janssen que chegarão ao Brasil na próxima semana têm prazo de validade só até o dia 27 de junho. E mais: o Ministério da Saúde consultou o Conass e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) pedindo uma orientação.

Sem passaporte

Salvo engano, o governo Bolsonaro é o primeiro a indicar um embaixador que está proibido de deixar o país, pois teve seu passaporte apreendido em fevereiro quando Gilmar Mendes revogou sua prisão domiciliar. Trata-se do ex-prefeito do Rio, Marcelo Crivella (Republicanos), envolvido em um esquema de propina no valor de R$ 53 milhões, indicado para a embaixada do Brasil na África do Sul. Mais um “milagre” da Igreja Universal.

ICMS do café

Os deputados distritais aprovaram projeto que reduz a base de cálculo do ICMS nas operações com a cesta básica de alimentos. Só que na prática só reduz a alíquota do imposto do café torrado e moído, incluído na cesta básica. O produto pagará somente 7% de ICMS. O projeto segue para sanção do governador do DF, Ibaneis Rocha.

Agaciel federal

O deputado distrital Agaciel Maia (PL-DF) vai colocar o bloco na rua em busca de um mandato de deputado federal em 2022.

Candidaturas

Alguns políticos interessados em disputar uma vaga de deputado federal em 2022 estão repensando a escolha. É que começaram a ver os nomes com muito potencial de voto e os chamados “sem voto” começaram a refazer os planos. A disputa de deputado federal no DF promete muitas surpresas.

MDB-GO rachado

O MDB de Goiás já mostra sintomas de que está rachado. O presidente do partido, Daniel Vilela, sinaliza um possível acordo com o govenador Ronaldo Caiado (DEM) para as eleições de 2022. Só que parte do partido discorda de tal posição.

Mutirão

Independente do possível racha no MDB goiano, o ex-prefeito de Goiânia, Iris Rezende, já começou uma espécie de “mutirão de adesão” a campanha de reeleição do governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM). Até o momento, Iris tem conversado com lideranças, parlamentares e prefeitos do MDB tentando atrair aliados para Caiado.

 

Carlos Honorato
pontofinal@carloshonorato.com.b

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
30 − 2 =