Centrão no palácio

O conselho é antigo, mas o presidente Jair Bolsonaro parece ter sido convencido – revela a colunista Natuza Nery (Globonews) – a trocar o general Luiz Eduardo Ramos (Casa Civil) pelo senador Ciro Nogueira (PP-PI), um poderoso do Centrão que já deu sinais de insatisfação com o governo. A ideia é colocar alguém da política em posto estritamente político. Há quem diga que a chegada de um “político habilidoso” no Palácio do Planalto poderia ser o ponta pé para uma melhora nas relações com o Congresso etc. Afinal, política não se resume a atual “luta de box verbal” diária do presidente.

Acomodação

Caso o presidente Jair Bolsonaro resolva mesmo pela mudança, o general Luiz Eduardo Ramos (Casa Civil) não deverá deixar o governo. Uma das possibilidades é que o general vá para o lugar de Onyx Lorenzoni na Secretaria-Geral da Presidência. Uma das possibilidades é que o presidente recrie o Ministério do Trabalho para abrigar o coringa Onyx e tirar um pouco o poder do ex “todo poderoso” ministro Paulo Guedes.

Lira chateado

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), não gostou da rapidez com que o presidente Jair Bolsonaro decidiu veta o escandaloso fundão eleitoral de R$ 5,7 bilhões. Só para lembrar, Lira guarda em sua gaveta mais de 100 pedidos de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro.

Bolsa Família

A oposição vê na possibilidade do presidente Jair Bolsonaro aumentar o valor do Bolsa Família para R$ 300,00 como uma forma de tentar melhorar seu desempenho nas pesquisas. O programa atinge algo em torno de 22 milhões de pessoas.

Caminhoneiros

Os caminhoneiros estão ameaçando com uma paralisação no próximo domingo 25, Dia do Motorista. A alta do diesel e as promessas não cumpridas pelo presidente Bolsonaro devem embalar o protesto.

Jogou a toalha

O presidente afastado do Patriota, Adilson Barroso, jogou a toalha na intenção de levar para o partido o presidente Jair Bolsonaro. Adversários garantem que o partido se fortalece em evitar a entrada do clã Bolsonaro. O Patriota hoje é comandado pelo vice-presidente Ovasco Resende e pelo presidente do Patriota-GO, Jorcelino Braga. A dupla briga na justiça contra as mudanças feitas pelo presidente afastado para beneficiar Bolsonaro.

Sem solução

Por incrível que possa parecer o governo de Jair Bolsonaro não consegue fazer o INSS funcionar já faz mais de ano. Tanto que mais de dois milhões de pessoas ainda aguardam análise para receber algum benefício. Detalhe: cerca de 500 mil estão à espera de perícia médica. Já está na hora de se encontrar uma solução para o problema que incomoda milhões de pessoas.

Terceira dose

A grande polêmica do momento sobre o combate a pandemia é a aplicação da terceira dose das vacinas contra a covid-19. Alguns especialistas garantem que ainda não existe justificativa para tal procedimento. Só que já estão sendo feitos estudos sobre a necessidade de reforço dos imunizantes.

PTB e o Buriti

Aumenta a cada dia os comentários de que o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, estaria tentando encontrar um nome para lançar como candidato ao Palácio do Buriti nas eleições de 2022. Pelo andar da carruagem, a missão é quase impossível, mas em política sempre se encontra um “jeitinho”.

Túnel de Taguatinga

Com 40% do trabalho concluído, as obras do túnel de Taguatinga completam um ano de construção e já consumiu um investimento de R$ 257,7 milhões. A obra é vista como uma das maiores do governo de Ibaneis Rocha (MDB).

Aliança

O prefeito de Valparaíso de Goiás e presidente da Associação dos Municípios Adjacentes a Brasília (Amb), Pábio Mossoró (MDB-GO) trabalha pela aliança do MDB com o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM). A ideia é ter Daniel Vilela, presidente do MDB-GO, como vice de Caiado. O prefeito diz em alto e bom som que o governador tem um bom relacionamento com os prefeitos e está modernizando as práticas políticas e administrativas em Goiás.

 

Carlos Honorato
pontofinal@carloshonorato.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
32 ⁄ 16 =