A SBU aponta também maior risco de cistite

A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) alerta para o aumento de casos de pedras nos rins em até 30% durante o verão, já que há o aumento da transpiração e, em alguns casos, sem a hidratação adequada para supri-la. Além disso, a entidade aponta maior risco de cistite, uma infecção na bexiga, também nessa época.Resultado de imagem para pedras nos rinsDivulgaçãoPara prevenir a incidência das pedras nos rins, a SBU afirma que é preciso adotar alguns hábitos, como aumentar o consumo de água, diminuir o sal da comida, fazer atividade física e comer menos carne vermelha. Aumentar a ingestão de sucos cítricos também é uma forma de proteger o corpo da formação de cálculos renais, apontou a SBU.

“Estima-se que 1 em cada 10 pessoas, no Brasil, sofra de cálculo renal e, geralmente, acomete jovens entre os 20 a 35 anos, sendo mais frequente em homens. Cerca da metade destas pessoas terão um novo episódio de cálculo ao longo dos 10 anos”, informou a entidade.

Outro alerta da sociedade médica é relacionado à negligência ou tratamento inadequado, o que pode evoluir para deterioração dos rins, redução em sua função e até casos de nefrectomias – retirada do órgão – decorrentes de obstrução devido à presença da pedra ou a infecções renais associadas aos cálculos.

Crédito: Divulgação

Já em relação à cistite, que também é favorecida pelo calor e a umidade típicos do verão, costuma causar sensação de bexiga cheia, urgência para urinar e ardência no canal uretral.

Hábitos que podem ajudar a prevenir tal condição incluem evitar ficar longos períodos sem urinar; tomar líquidos em quantidades apropriadas; combater a constipação intestinal; fazer a adequada higiene íntima; praticar exercícios físicos; e evitar ficar com roupa de banho molhada por longos períodos.

Sintomas do cálculo renal

Além das dores, das náuseas e do vômito, os pacientes com cálculo renal podem apresentar:

  • Sangue na urina.
  • Infecções urinárias.
  • Interrupção ou diminuição do fluxo urinário.
  • Aumento da frequência das micções.

Principais causas de pedras nos rins

Entre as principais causas, estão:

  • Baixo consumo de água, que leva a volume insuficiente de urina e a uma concentração exagerada de sais.
  • Excesso de cálcio, fosfato, oxalatos e outros elementos no sangue.
  • Falta de citratos no sangue.
  • Distúrbios metabólicos relacionados ao ácido úrico e à glândula paratireóide.
  • Características anatômicas.
  • Demais obstruções das vias urinárias (estenose ou estreitamentos).

Diagnóstico

O diagnóstico de nefrolitíase (pedras nos rins) deve ser realizado pelo médico urologista. Além do exame clínico, este profissional poderá solicitar uma série de exames complementares de sangue e de urina. Exames de imagem, como Ultrassonografia e, em especial, a Tomografia Computadorizada, também podem ser necessários.

 

Fonte: Agência Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
8 + 13 =